sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Um chá muito louco


Ler a Alice e a sua curiosidade de descobrir tudo que a rondava, permitindo-se ir além do real, nas divisas da imaginação. Para mim, Alice no País das Maravilhas é e sempre será O livro. Aquele que vai tomando novos significados a cada nova leitura, que faz com que nos reencontremos com algo que a rotina nos tira: a fantasia, essa que nos leva para mundo que, embora não existente no mundo real, muito nos ensina sobre ele.
A ousadia dela de tomar o líquido que tinha escrito beba-me e o bolo onde tinha escrito coma-me, o que nos ensina? Que muitas vezes precisamos ser ousados diante do desconhecido. Se não arriscarmos, talvez não possamos modificar situações que precisam de novos ares. Talvez até dê errado, mas se tinha de ser, o que fica é o aprendizado. Ali você não cai mais. Ou talvez caia, por teimosia ou por não ter prestado tanta atenção assim no ensinamento.
A Rainha de Copas manda os seus soldados pintar as rosas brancas todas de vermelho. Daí, duas interpretações:

1ª- Por vezes queremos "nos pintar de vermelho", para que os outros não enxerguem quem verdadeiramente somos. Todo mundo em algum momento da vida faz isso, ou seja, utiliza máscaras. Mas quando a máscara "cola" no seu rosto, como você reencontra seu verdadeiro eu?

2ª- Olhando para a atitude da Rainha de Copas, será que está certo mandar nos outros de tal forma? Agir com a ira, ao invés de esperar os momentos de calmaria? (aliás, se ela tem, eu desconheço...rsrs.). Quem age com impulsividade, com raiva, acaba se magoando e magoando os outros.

Se continuasse, com certeza veria mais coisas legais que o livro me ensina. Talvez você tenha lido e visto por outros ângulos, mais amplos até. Mas o bom da reflexão é isso: não há o mais certo nem o mais errado; apenas concepções diferentes. Pense nisso. :)

Imagem Getty Images

PS.: Vou voltar a entrevistar pessoas aqui no blog.
PS.2: Quero voltar a postar pro Blorkutando, mas a preguiça não deixa. Preciso vencê-la.
PS.3: Tô preparando minha aula, da qual falei no post anterior.

7 estórias:

Marcelo Mayer disse...

lucy in the sky, white rabbit, i am the warlus, eight miles high, bike e tantas outars obras primas do psicodelism foram inspiradas nesta personagem.

*Natália* disse...

Não achao graça neste personagem.. Sei lá...
Enfim...
beijos.

Erica Ferro disse...

"Mas o bom da reflexão é isso: não há o mais certo nem o mais errado; apenas concepções diferentes."

Adorei as suas interpretações. ;)

Beijo.

Dayvid disse...

Eu conheço a história, mas nunca li o livro não. Na verdade conheço bem pouco da personagem =/
Mas essas histórias que nos dão várias interpretações são as melhores :D

Abraços ;D

Pedro Henrique Ianevski^^ disse...

Nossa, eu também amo Alice, sempre leio, acho que umas 5 vezes por ano..[kkkkkk]O bom da leitura repetida é que sempre tem algo diferente que nos chama mais atenção ou que passou despercebido na leitura anterior. E sempre que leio fico pensando sobre a interpretação numero 1 da Rainha de Copas! Temos o mesmo fluxo de reflexão!! hehe

Abraços!!

Camille disse...

Nunca li Alice, só assisti ao filme. Mas fiquei na maior vontade de ler agora, viu.
Beijocas

anne. disse...

Nunca li alice :/, tenho até curiosidade, só vi o desenho que é mt fofo. Já vi colares com o 'beba-me' e o 'coma-me' *-* Bem , sinceramente não sei se eu me arriscaria, na história é isso que parece mesmo , essa lição que mostra , mas na vida real hmm. Beeijos