segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Voltei pro outro blog

E o motivo de eu ter saído de lá era não conseguir mexer em nada. Mas tô me saindo até bem (como iniciante, mas já é alguma coisa, rs). Dessa vez é de verdade (não digo para sempre, porque não existe e blábláblá). Sem mais delongas, minha nova casa é essa. Me segue lá, vai! Tô te esperando! :)

domingo, 15 de novembro de 2009

Imaginou

Um dia resolveram inventar a Terra. Plantas, terras, montes, mares. Estrelas, nuvens, céu, sol, lua, alguns não exatamente do planeta, mas criando condições para que o mesmo existisse. Claro que tinha seres mais desenvolvidos nesse meio. Animais dos mais variados, e alguns até mais aptos a cuidar dos menos capacitados. Eram os seres humanos, criados para ter a capacidade de criar. Criação com possibilidade de ter criações.
Muita coisa foi criada pela inteligência humana. Sem se preocupar com ordens, datas ou períodos, computador telefone carroça cd rede esmalte moda indústria guerra cura escola farra mp3 câmera bússola navio livro coca cola. Assim, sem vírgulas, sem lógica (?), em tal velocidade disforme do ser humano. Só mais devaneios, mais criações além dessas. Muito mais.
E talvez ninguém nunca tenha parado para pensar porque achamos tudo tão real, quando tudo é só invenção. Materializada, sim, mas fruto da imaginação. Da nossa. O que é o real? Algo que você acha real? Mas achar não seria algo um tanto subjetivo?
O que eu escrevo aqui é a realidade, ou talvez você pense que "essa garota tá louca e quer que eu perca os parafusos". Realidade é para mim e não para você.
Por exemplo... Com certeza seu avô deve assistir tevê, assim como o meu. Possivelmente é assim que ele tem notícias diárias. Vai dizer para ele que a emissora que ele assiste maquia fatos, experimenta, mesmo sendo sutil. Ele pode até não ser grosso, mas a ideia dele dificilmente mudará. Sabe porque? Ele veio de outra realidade, e isso não quer dizer que ele está errado. Nem quer dizer que você esteja errada em suas colocações. Quer dizer nada e tudo ao mesmo tempo. Aliás, as coisas têm que sempre querer dizer algo, ou seja, ter um porquê? Não necessariamente.
Você sabe explicar quando se apaixona? Quando dança loucamente? Quando se arrepia? Qual o por que de tudo isso? Você sabe o porquê de estar lendo isso aqui? É, a vida é extremamente cheia de porquês, de hipérboles, de vida.
Não procure lógica no que escrevo. Se você ao ler sentir, entenderá. Ao contrário acontecerá se você zombar e disser "que viagem". Eu viajo mesmo. E se você não está pronto para sentar nas asas do pensamento e viajar comigo, sinceramente não sei o que faz aqui.

Imagem by Getty Images

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

OMG! 2 anos de blog!!



E aqui estou, comemorando, felicíssima, mais um aniversário do blog!! Resolvi, então, fazer uma retrospectiva.
Comecei aqui cantarolando uma música que minha mãe canta lavando roupa. Na hora, pensei ser por não ter nada melhor pra postar. Vejo que não podia ter começado de forma mais adequada, pois faz parte das minhas raízes.
Por muito tempo meu blog teve pouquíssimos visitantes, só conhecidos que eu pedia pra visitar. Mas depois, comecei a ganhar leitores e a interagir com eles.
Uma das minhas maiores alegrias foi quando o Jerri Dias, que escreve na seção Diversão da Capricho, comentou no meu humilde blog! Foi legal porque sempre achava que as pessoas que admirava eram tipo, inatingíveis, e ele me provou o contrário. Valeu Jerri!
Tem muuuuuita história que eu podia contar aqui e nunca terminaria, mas algo que sempre registrei aqui foi sobre amores. Durante a existência do blog, passei por dois namoros, com suas delícias e conturbações, como qualquer casal normal (ou não). Aprendi muito, desabafei tristezas e alegrias. Aprendi que o pra sempre não existe, jamais! Mas nada te impede de eternizar em seu espírito momentos importantes!
Na comemoração d0 2º ano do blog, postei com cinco dias de atraso, e agradeci aos leitores, que já eram muitos se comparados ao início.
Muita gente me aconselhava a parar de "perder tempo" com o blog. Poxa, aqui eu aprendi tanto, fui ajudada por tanta gente e ajudei outras tantas com simples palavras! Por isso não desisto! Gosto de escrever, de estar sempre aqui, e mesmo quando tiver pouco tempo reservar um tempinho pro blog. Porque ele é primordial, faz parte das minhas prioridades. E isso muitos não entendem. Que não entendam. Sempre haverá os que me apoiam, gostam do que escrevo e me fazem continuar. Porque vocês, leitores, fazem parte da minha vida. Alguns acompanham o blog há muuuito tempo, né Natália? Outros eu conheci mais ou menos na metade do blog, como a Jéh. Outros nem a tanto tempo, como a Erica Ferro, mas que eu já considero muito!
Vocês(não só elas 3, mas todos!) fazem meu sonho realidade! A vocês o meu muito obrigada!!!!!

Imagem Getty Images

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Enquanto isso, no twitter...

RT @tatahsantini(eu!): RT @hugodqm Tudo escuro, meu vizinho foi aproveitar o #apagao pra matar o irmão gêmeo e, por engano, cometeu suicidio.

@tatahsantini: Postando no blog de moda, esperando o sono vir. Será que ele foi pra Itaipu?

RT @melhoresfrases RT @glepontes "Fique com Deus... porque Jesus, Madonna já carregou para o Fasano."

@tatahsantini:
Vou fazer luzes no cabelo, só assim se tiver apagão eu fico iluminada. #infame

RT @andreolifelipe Alguem sabe se tem algum lugar com luz q se possa comer? Sem falar quarto da Madona vai...sério.

RT @laribilo RT @renatoflavio Estão dizendo que o Google comprou Itaipu. Agora energia elétrica, só com convite... #Itaipu

RT @DaniloGentili Acho q a energia ta voltando... Acabei de ver na rua um carro com o farol aceso.

@tatahsantini: #Itaipu é o novo #chupa ? Chegará no topo dos trending topics?

Quem não tem twitter não se diverte no momento de chatice (no caso, o apagão). Aqui não teve, mas não deixei de me divertir por isso!!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

De onde eu sou?

Às vezes me pergunto, nos dias que fico sozinha, mas sozinha mesmo: de onde eu sou? Perder-se e não saber se realmente aquela pessoa que diz tanto ser sua amiga, diz tanto que gosta de você, te trata como se fosse assim... dispensável? Nossa, como eu tenho sentido isso! E não queria, até porque não gosto de alimentar sentimentos negativos, mas dessa vez não tive escolha. Isso me persegue de um jeito. Não é que eu vá ficar revolts e mandar todo mundo catar coquinhos. Mas tenho certeza que tais questionamentos me dirão por onde ir, ou pelo menos por onde não ir de modo algum.
Certas amizades, por exemplo. Algo me diz que tenho que me afastar. Mais por mim do que por elas, pois por pensar muito nos outros me perdi dentro de mim mesma, e isso não é bom. Afinal, primeiro você tem que se amar, pois só assim conseguirá cuidar dos outros melhor, assim como cuidará de você. Tenho amizades que me deixam mal, sério. Pessoas que eu gosto, tenho convívio de anos, mas basta chegar outra pessoa pra ela me tratar como um...nada. Talvez elas nem se toquem, mas fazem muito mal a mim com isso. Eu confesso que já fiz isso, mas quando me toquei o quão ruim era, parei. Mas nunca deixei de passar por isso. Não é com todos, só algumas pessoas.
Eu me pergunto o que eu tenho de errado, e descobri que eu não tenho nada de errado. Claro que defeitos todos têm, mas nada que impeça de eu ser amiga. Sou ótima amiga, guardo confidências a sete mil chaves, procuro ser agradável. Sei que às vezes não me expresso bem, mas sempre me explico quando vejo que errei.
Pior que isso é também na família. Por não ter sido assim tão boa no passado, sou julgada pelo que fui e não pelo que sou. Tá, vocês podem dizer que a gente colhe o que planta, mas eu vou colher pra sempre algo que eu fiz por alguns anos e já me arrependi tremendamente? Caramba, isso que é justiça?
Me encontro assim. Não triste, mas um pouco revoltada. E a revolta nos faz mudar, porque na birra eu não quero apostar. Porque se já está assim, com ela piora tudo!

Imagem Getty Images

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Abre Aspas: terceira edição


Poema de sete faces

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

As casas espiam os homens
que correm atrás de mulheres.
A tarde talvez fosse azul,
não houvesse tantos desejos.

O bonde passa cheio de pernas:
pernas brancas pretas amarelas.
Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
Porém meus olhos
não perguntam nada.

O homem atrás do bigode
é sério, simples e forte.
Quase não conversa.
Tem poucos, raros amigos
o homem atrás dos óculos e do bigode,

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus
se sabias que eu era fraco.

Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o diabo.

De Alguma poesia (1930)

A poesia que eu mais gosto, pra participar da Blogagem Coletiva promovida pela Lunna. Confiram!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Um chá muito louco


Ler a Alice e a sua curiosidade de descobrir tudo que a rondava, permitindo-se ir além do real, nas divisas da imaginação. Para mim, Alice no País das Maravilhas é e sempre será O livro. Aquele que vai tomando novos significados a cada nova leitura, que faz com que nos reencontremos com algo que a rotina nos tira: a fantasia, essa que nos leva para mundo que, embora não existente no mundo real, muito nos ensina sobre ele.
A ousadia dela de tomar o líquido que tinha escrito beba-me e o bolo onde tinha escrito coma-me, o que nos ensina? Que muitas vezes precisamos ser ousados diante do desconhecido. Se não arriscarmos, talvez não possamos modificar situações que precisam de novos ares. Talvez até dê errado, mas se tinha de ser, o que fica é o aprendizado. Ali você não cai mais. Ou talvez caia, por teimosia ou por não ter prestado tanta atenção assim no ensinamento.
A Rainha de Copas manda os seus soldados pintar as rosas brancas todas de vermelho. Daí, duas interpretações:

1ª- Por vezes queremos "nos pintar de vermelho", para que os outros não enxerguem quem verdadeiramente somos. Todo mundo em algum momento da vida faz isso, ou seja, utiliza máscaras. Mas quando a máscara "cola" no seu rosto, como você reencontra seu verdadeiro eu?

2ª- Olhando para a atitude da Rainha de Copas, será que está certo mandar nos outros de tal forma? Agir com a ira, ao invés de esperar os momentos de calmaria? (aliás, se ela tem, eu desconheço...rsrs.). Quem age com impulsividade, com raiva, acaba se magoando e magoando os outros.

Se continuasse, com certeza veria mais coisas legais que o livro me ensina. Talvez você tenha lido e visto por outros ângulos, mais amplos até. Mas o bom da reflexão é isso: não há o mais certo nem o mais errado; apenas concepções diferentes. Pense nisso. :)

Imagem Getty Images

PS.: Vou voltar a entrevistar pessoas aqui no blog.
PS.2: Quero voltar a postar pro Blorkutando, mas a preguiça não deixa. Preciso vencê-la.
PS.3: Tô preparando minha aula, da qual falei no post anterior.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Tempos de inspiração direcionada e presentinho

Título louco... relevem!
Já falei aqui no blog que participo de uma Escola de Filosofia Espiritualista. Pois é, o fato que eu darei mais uma aula lá (a primeira foi há dois anos sobre aquecimento global), sobre a arte de escrever. Sabe essas coisas que a gente decide mais com o sentimento do que com a razão? Foi o que aconteceu quando quis dar essa aula. Desde então venho pensando em como tratar o tema, vindo de uma humilde leitora e aspirante a escritora que sou eu. Como mostrar a minha paixão e de muitos por uma arte que conquista muitos nesse mundo? Confesso que já sei mais ou menos o que saber, mas na hora, apesar do "roteiro", o coração fala mais alto, assim como na hora da decisão que mencionei.
De cara quero levar textos da Clarice, do João Cabral de Melo Neto, Adriana Calcanhotto e Arnaldo Antunes. No mais, continuarei pesquisando até sábado (e aceito sugestões!).

Mudando de assunto, ganhei um presentinho da minha mãe, o perfume Humor da Natura. Ele veio com uma embalagem fofa e até com uns textos sobre o humor nos relacionamentos, acompanhados por ilustrações de Angeli. Olha aqui:


Sem contar que a fragrância é tudo!! Perfeita!
Agora vou indo! Espero sugestões.

domingo, 1 de novembro de 2009

Post miscelânea

Nossa, tô ficando mesmo viciada em postar...quase todo dia, rsrsrs! Nem sempre tenho tanto tempo mas pro blog sempre tem um tempinho reservado.
Pois é, há alguns dias descobri (não lembro como - ah memória fraca!) um cantor muito legal chamado Charlie Winston. Cantor e compositor britânico, viu seu álbum de estreia Hobo(2009), que ganhou disco de platina, alcançando grande sucesso na França.
Ele tem uma voz linda e um estilo de música que muito me agrada (meio soul, nunca sei definir...). E apesar do CD Hobo ser inteirinho maravilhoso, sempre tem a preferida, né? A minha é "My Life As a Duck". Confiram o vídeo a seguir (será muito difícil não se apaixonar por essa voz, digo logo!):


Depois do Charlie, mudo para um assunto nada a ver. Resolvi voltar para o host que tinha ganhado há um tempo. Mas calma, não vai ser agora. Quero deixá-lo com a minha cara antes, e por enquanto estou aqui. Depois, importo as coisas pra lá e a vida continua, né?

Voltando pro assunto música, quero indicar para vocês uma nova do Arnaldo Antunes, do novo CD Iê iê iê. Lá vai o vídeo (o áudio não tá lá essas coisas, mas foi o melhor vídeo que achei):



Espero que gostem... adoro sempre dar essas dicas de músicas, filmes, séries (principalmente quando estou com pouca inspiração para textos mais elaborados, como hoje).

P.S.: Acho que nunca falei do meu Flickr aqui, né? Para tudo tem uma primeira vez: clique, comente, adicione se tiver Flickr e gostar do que vir. Descobrirão que eu também amo fotografar (o álbum de coisas que fotografo tá pequeno, mas vou adicionar mais fotos). Não tem nada profissional, é claro, mas é mais uma forma muito prazerosa que uso pra me expressar. Confiram. :)

sábado, 31 de outubro de 2009

Dia das Bruxas, Blogagem Coletiva


Todo ano, no Halloween, é a mesma festa. Não, infelizmente quase nunca participo de festas realmente, mas o dia 31 de outubro é o meu dia preferido em todo o ano... *-*
Sempre gostei de coisas meio bruxescas, místicas. E como acredito piamente em reencarnação, não duvido que já tenha sido queimada viva em vidas passadas.
E o Halloween traz muitas polêmicas, não é mesmo? "Ah, porque não é uma comemoração brasileira!"; "É coisa do demônio!" (hã?), assim dizem muitos.
Nessa ânsia de valorizar mais o que é nacional, cria-se, em 2003, o Dia do Saci. Acho válido valorizar a cultura nacional. Mas não acho que o Halloween anule tal possibilidade. E nem ligo quando dizem: "Ah, mas nos E.U.A. eles não festejam nada de fora, sua boba!". Não se trata de um joguete para saber quem é mais nacionalista. Pelo menos pra mim, isso é muito mais uma questão de identidade. Sabe quando você escuta uma música, assiste um filme e sente que há algo em você que condiz com aquilo. Pronto, é o mesmo sentimento. Identificação, quando suas ideias "casam" com o que está acontecendo, é mágico!
Vou falar um pouco agora sobre a origem do Halloween, de toda essa tradição mística e belíssima, ao meu ver.

Raízes históricas do Halloween

Criada pelos celtas, a celebração essencialmente não pedia que as pessoas se fantasiassem de bruxas e comessem guloseimas. O objetivo era celebrar o início do inverno e o espírito dos mortos.
Na região da atual Irlanda, há aproximadamente 2 mil anos (data estimada pelos historiadores), os celtas comemoravam seu ano novo em 1º de novembro, data que também marcava o fim das estações quentes do ano. Eles acreditavam que, na véspera, chamada de “Samhain”, o mundo dos vivos e dos mortos se mesclava. A festa do “Samhain” incluía o sacrifício de animais e uma grande fogueira em homenagem aos mortos. O cristianismo é que teria injetado o ar “diabólico” ao Halloween, já que associava espíritos e fantasmas ao paganismo e ao mal. Mas a festa originalmente não tinha a intenção de ser assustadora, e sim uma celebração, segundo explicou Jack Santino, professor de Cultura Popular dos EUA e autor do livro “Halloween and other festivals of life and death” (Halloween e outros festivais de vida ou morte).
“O Halloween como o conhecemos hoje vem da época em que os missionários cristãos tentaram mudar as práticas religiosas dos celtas”, analisa Santino. Para substituir a festa pagã do “Samhain” por uma comemoração cristã, a Igreja Católica determinou que o 1º de novembro seria o Dia de Todos os Santos (All Saint’s Day), também chamado de All-hallows. A véspera, portanto, era chamada de All-Hallows Eve, que depois virou Halloween.

Gostosuras ou travessuras

A festa se popularizou nos EUA com a chegada de um grande número de imigrantes irlandeses, no século XIX, e a ela foram agregadas diversas novidades. Uma delas é o uso de fantasias. Já que os celtas acreditavam que, na noite de 31 de outubro, os espíritos dos mortos vagavam junto a fadas, bruxas e demônios, estes acabaram sendo os temas mais comuns dos disfarces de Halloween. A tradição de “gostosuras ou travessuras” também pode ser creditada aos celtas, que costumavam oferecer comida aos espíritos do Halloween para aplacá-los e para indicar-lhes o caminho das casas de suas famílias. Mas essa não é a única explicação. “Também acredita-se que a idéia de fazer com que as crianças pedissem doces de porta em porta nasceu nos EUA, nos anos 1930. O objetivo era dar às crianças uma participação no Halloween mas evitar que elas ficassem nas ruas fazendo bagunça”, comenta Santino. As abóboras ocas e recortadas, outro ícone do Halloween, são tipicamente norte-americanas. “Uma lenda celta dizia que um espírito que não conseguia ir nem ao céu nem ao inferno usou uma lanterna para guiar-se. Os irlandeses, ao imigrar aos Estados Unidos, conheceram as abóboras e perceberam que, ocas, elas também funcionavam bem como lanternas e continuaram assim a tradição”, diz Santino.

Eu sempre leio sobre o Halloween e sempre me fascina mais. Enquanto a galera pira nos vampiros, adoro as mais variadas histórias de bruxas e bruxos. Não que eu também não curta a simbologia dos vampiros, mas essa é outra história...

Gente, acho que dei uma introdução até razoável pra essa blogagem, né? Tem pouca gente, afinal é a primeira que eu reúno. Mas se você, mesmo sem estra inscrito, se interessou, escreva sua opinião sobre o assunto no seu blog e me mande o link que posto aqui, com certeza! Esse será um bom dia de debates sobre o assunto, e o melhor, sem censura: seja você contra ou a favor, sua opinião enriquecerá a Blogagem!
Happy Halloween! :)

Textos dos participantes:

1. Anne, do blog Enchanted

"Não sei se vocês sabem mas eu sou apaixonada também por bruxaria *-* não no sentido ruim da coisa, até mesmo porque eu tenho uma opinião formada sobre isso, eu acho que a magia está em cada um de nós - de um jeito diferente é claro - Porém algumas pessoas usam para fazer coisas ruins e outras para fazer coisas boas, mas a verdade é que existe só um tipo de magia e cabe à você escolher.
Enfim, com esse clima todo de Halloween eu segui a idéia da Tatah de blogagem coletiva sobre o tema e resolvi fazer humildemente meu post dedicado ao assunto (:
A história do Dia das Bruxas começou com a tradição dos celtas, entre 600 a.C. e 800 d.C. Apesar do nome que é dado hoje, a festa não tinha nada muito a ver com bruxas, para eles o 31 de outubro era o mesmo que o 31 de dezembro é para a gente, tanto é que os celtas chamavam essa festa de Samhain¹ que era celebrado entre os dias 30 de outubro e 2 de novembro - e marcava o fim do verão, uma data sagrada - eles acreditavam que neste dia o véu que existe entre os mundos: o real e o dos mortos, ficava mais tênue."

Leia esse post na íntegra aqui.

2. Ciça Donner, do blog Uma Papachibé e sua Égua

Em um mundo ultra globalizado é uma babaquice sem tamanho ficar discutindo “Comemorar ou nao Halloween?”. Internet, rádio, televisao, revistas… o mundo está praticamente sem fronteiras. O acesso a outras culturas é infinito e vem bater na nossa porta.
Quando estive no Brasil em 2007 por essa época (oh saudade do cao!) uma escola de inglês lá fez uma super festa de Halloween com direito a concurso de fantasia e tudo. Tinha da Matinta Pereira a Bruxa, tudo misturado e agora o dia 31 de outubro também é o Dia do Saci… maninhos, que sacada!
Se é coisa do demônio… bom, mano, o Demônio deve ter coisa mais importante pra fazer nessa noite!

Leia o texto aqui.

3. Cih, do blog Coloridex

A minha proposta de post para o Halloween pretende ser uma brincadeira que fiz para mim mesma mas, que eu quero compartilhar com os leitores do coloridex.com.
Sinceramente eu não sou muito chegada nas origens da comemoração do Halloween mas adoro a idéia de poder ir à festas à fantasia nesta época do ano. Aqui no Brasil as customizações são mais puxadas para o terror, sobrenatural e afins. Em outros países, como os EUA, vale qualquer fantasia! O essencial mesmo é se jogar no clima das festas e soltar a criatividade.
Lembrando meus tempos de gótica-rebelde-sem-causa-roqueira-metaleira fiz fotos inspiradas em vilãs dos contos de fadas.


Imagens e texto na íntegra aqui.

4. Luiza, do blog Mad Strawberry

Docinho abóbora Halloween

Ingredientes

* 1 lata leite condensado
* 3 ovos
* 50g de coco desidratado
* 100ml de leite de coco
* 250g de açúcar refinado
* ½ colher sopa manteiga
* 3 colheres sopa farinha trigo(ponto de massa)
* Pasta americana branca e tingida com corante alimentício gel para decoração do docinho) ou fondant

Para ver a receita na íntegra, clique aqui.


P.S.: A medida que as pessoas forem postando, vou fazendo updates. :)
P.S.2: Não deixe de ler os blogs linkados, todos são maravilhosos!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Ler = paixão

Sensação de bem estar, de conhecimento maior e de me perguntar porque eu não pensei naquilo antes. É isso o que sinto ao ler um bom livro.
Quanto maior o livro, maior o desafio. Quanto menos familiar a linguagem me parecer, também. É muito bom, sabe. Quando a leitura flui, eu perco a noção de tempo e lugar e me entrego totalmente à história, seja ela qual for.
Não é uma paixão tão antiga assim. Sempre gostei de ler, mas geralmente era vencida pela preguiça. Esse ano o jogo mudou. Enquanto nos anos anteriores lia um ou dois livros (e às vezes nem isso), em 2009 devo ter passado dos 10. E não é só número: todos marcaram uma nova fase da minha vida, a de boa leitora!
É muito, muito prazeroso mesmo. Me agrega conhecimentos vários. Amplia minha forma de ver o mundo. Melhora meu vocabulário, o que me é muito útil na hora de falar e escrever. Me transporta para o lugar que eu leio, faz com que eu me veja no personagem, enfim... é um delírio tal que só experimentando!!
No momento, estou me deliciando com O mundo de Sofia (Jostein Gaarder). E você, o que está lendo?

Imagem Getty Images

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Miley Cyrus é eleita a celebridade que foi pior influência para jovens em 2009

Miley Cyrus, uma das estrelas mais promissoras da Disney nos últimos três anos, com discos e filmes de sucesso, foi eleita a celebridade que foi a pior influência em 2009 -- e pelas próprias pessoas que a levaram ao estrelato, os adolescentes e pré-adolescentes, revelou uma pesquisa online na quarta-feira.
Cyrus, de 16 anos, ficou com 42 % dos votos dados no site JSYK.com (as iniciais são de "Just So You Know," ou "só para você saber"), da AOL, voltado ao público de 9 a 15 anos. Com isso, empurrou Britney Spears e o rapper Kanye West para o segundo e terceiro lugares de uma seção sobre as celebridades que exerceram a pior influência do ano.
O ranking acontece após um ano em que Miley Cyrus provocou polêmica ao ser vista namorando um modelo de 20 anos, fazendo "olhos de japonesa" numa foto informal que foi interpretada como zombaria dos asiáticos e ser acusada de fazer a dança do poste num programa de premiações teen.
Cyrus ficou em quarto lugar na categoria de artista mulher favorita, depois da cantora country sensação Taylor Swift, de 19 anos, de Katy Perry, cantora de "I Kissed a Girl," e da cantora Beyonce. Quase 50 mil votos foram dados na pesquisa.

Além da Disney

Stephanie Cohen, editora do JSYK.com, comentou: "Acho que Miley está tentando deixar de ser 'Hannah Montana' e estrela do canal Disney e ter uma carreira que vá além da Disney."

"Acho que seus fãs ainda querem ela boazinha como Hannah Montana, e ela está tentando amadurecer. Os pais estão resistindo a isso, com certeza", disse Cohen à Reuters.

Miley Cyrus tem sido um dos maiores ídolos do público teen mundial desde 2006, vendendo mais de 7 milhões de álbuns, lançando sua grife de moda própria e arrecadando 154 milhões de dólares nas bilheterias mundiais de "Hannah Montana: O Filme" em 2009.

Kanye West, cuja interrupção do discurso de aceitação de Taylor Swift numa cerimônia de entrega de prêmios, em setembro, foi considerado o momento mais chocante de 2009, ficou com 19 % dos votos na seção de celebridade que exerceu a pior influência. Taylor Swift, a artista norte-americana que mais vendeu discos em 2008, viu sua popularidade aumentar mais ainda este ano.

"Muitas das canções dela são sobre pessoas que estão por baixo, e os teens realmente se identificam com ela", disse Cohen.

Os astros dos filmes de vampiros "Crepúsculo" e de sua sequência "Lua nova", que chegará aos cinemas em breve, dominaram outras seções da pesquisa JSYK.com. Kristen Stewart foi eleita a atriz de cinema favorita, e Taylor Lautner passou à frente de Robert Pattinson nas categorias ator de cinema favorito e "cara bacana com quem você gostaria de ficar."

Os resultados completos podem ser encontrados no endereço http://www.jsyk.com (em inglês).

Notícia extraída do G1.


Agora, a minha opinião...

Sinceramente? Podre isso. A Miley ainda é uma garota, e qual de nós não fez besteiras na adolescência, hein? Claro que nao tô aqui defendendo, nem fã dela eu sou. Agora o Kanye (podre) West merecia esse posto por humilhar a Taylor e cadê? Como a eleição dependeu de adolescentes e pré-adolescentes, acho ridículo.

Só minha humilde opinião, podem atirar tomates podres se quiserem (os comentários tem moderação mesmo...hahaha!).

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Amy Winehouse: phyna e desastrada


A música "Rehab", com a qual Amy Winehouse estourou, foi eleita pelo jornal britânico "The Telegraph" a canção mais influente da década. O jornal fez uma lista com 100 músicas de vários estilos consideradas essenciais para a compreensão da cultura e da música nos anos 2000.

Beyoncé, Coldplay e Outkast também estão na lista. Confira os dez primeiros colocados.


"Rehab", Amy Winehouse
"I Bet You Look Good On The Dancefloor", Arctic Monkeys
"Crazy In Love", Beyoncé
"Yellow", Coldplay
"Paper Planes", M.I.A.
"Bleeding Love", Leona Lewis
"Hurt", Johnny Cash
"Seven Nation Army", The White Stripes
"Can't Get You Out of My Head", Kylie Minogue
"Hey Ya", Outkast

[a notícia, retirada do site EGO, é de setembro, mas eu só vi agora e amay!]


A outra novidade é que ela pôs silicone, e parece que os seios dela acabaram não cabendo na roupa, olha só. Amy, se liga aí! Ficou legal o silicone, mas agora vamos dar uma engordada, né?

Só não precisa mudar no que diz respeito a música, que é MARA!

P.S.: Blogagem chegando... não se inscreveu? Se inscreva nesse post.

Imagens: Last FM e EGO

domingo, 25 de outubro de 2009

Reaprender

Quero aprender a ser solteira. Não, eu não estou choramingando porque "ninguém me ama, ninguém me quer", sei que não é isso.
O que não quero é ficar com alguém que possa me envolver, me apaixonar. Alguém que mostre no olhar que muito quer, prefiro dispensar por ora. Eu quero reaprender a ser feliz comigo mesma, pois se entregar sem se conhecer por completo resulta em desastre.
Tá aí, me amar. Namorar comigo mesma. Calma, eu explico. Me cuidar mais, me arrumar, investir no meu futuro como estudante. Pensar um pouquinho em mim. Quem sabe assim aprendo meus limites e aprendo que, ao contrário do que diz a música, é possível ser feliz sozinha, sim.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Princesa de Boutique

Que eu amo moda, quem conhece sabe. Mas já tive dois blogs do assunto, um no wordpress e o outro aqui no blogspot, mas desisti depois de um tempo.
Resolvi tentar de novo. O Princesa de Boutique já tem um post bem legal sobre a Blake Lively, vai lá!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Mil possibilidades

A vida sempre nos dá uma nova chance, mesmo que nós não nos julguemos merecedores disso. Viver é justamente essas janelas de possibilidades, que, se estão fechadas, apenas esperam serem abertas no momento em que você estiver pronto.
A dor do caminho é a certeza que tem que haver continuação. Para melhorar, para fazer jus à dádiva maior que é a existência. Tem de ter cuidado para não se cobrar tanto. Se não fomos o melhor que queríamos, fomos o melhor que foi possível naquele momento. É importante saber disso, não pirar porque errou. Se dê uma nova chance, mas não seja condescendente. Bom é ser justo com você, assim como com os outros.
Há de lembrar sempre que a felicidade é constante sim, não são apenas momentos desconexos como muitos pensam. E sabe por que? Felicidade é a busca, é estar vivo, é ter a capacidade de pensar o que fez de mal e tentar de modo bem melhor. Não é ter dinheiro, ter amor de outro. Amor vem da gente. Se não começa assim, não há como dar certo. Ter harmonia é ser feliz, e não coisas que se esvaem com o tempo. Tudo passa. Mas a esperança tem de ficar sempre.

PS.: Tô aprendendo isso a duras penas, e gosto de dividir o que aprendo com vocês, que são, de certa forma, meus amigos.
PS.2: Inscreva-se pra Blogagem Coletiva do Halloween. Saiba mais nesse post.

sábado, 17 de outubro de 2009

Caim

(...) Sucedeu então algo até hoje inexplicado. O fumo da carne oferecida por abel subiu a direito até desaparecer no espaço infinito, sinal de que o senhor aceitava o sacrifício e nele se comprazia, mas o fumo dos vegetais de caim, cultivados com um amor pelo menos igual, não foi longe, dispersou-se logo ali, a pouca altura do solo, o que significava que o senhor o rejeitava sem qualquer contemplação. Inquieto, perplexo, caim propôs a abel que trocassem de lugar, podia ser que houvesse ali uma corrente de ar que fosse a causa do distúrbio, e assim fizeram, mas o resultado foi o mesmo. Estava claro, o senhor desdenhava caim. Foi então que o verdadeiro carácter de abel veio ao de cima. Em lugar de se compadecer do desgosto do irmão e consolá-lo, escarneceu dele, e, como se isto ainda fosse pouco, desatou a enaltecer a sua própria pessoa, proclamando-se, perante o atónito e desconcertado caim, como um favorito do senhor, como um eleito de deus. (...) A cena repetiu-se, invariável, durante uma semana, sempre um fumo que subia, sempre um fumo que podia tocar-se com a mal e logo se desfazia no ar. E sempre a falta de piedade de abel, os dichotes de abel, o desprezo de abel. Um dia caim pediu ao irmão que o acompanhasse a um vale próximo onde era voz corrente que se acoitava uma raposa e ali, com as suas próprias mãos, o matou a golpes de uma queixada de jumento que havia escondido antes num silvado, portanto com aleivosa premeditação. Foi nesse exacto momento, isto é, atrasada em relação aos acontecimentos, que a voz do senhor soou, e não só soou ela como apareceu ele. (...) Que fizeste com o teu irmão, perguntou, e caim respondeu com outra pergunta, Era eu o guarda-costas de meu irmão, Mataste-o, Assim é, mas o primeiro culpado és tu, eu daria a vida pela vida dele se tu não tivesses destruído a minha, Quis pôr-te à prova, E tu quem és para pores à prova o que tu mesmo criaste, Sou o dono soberano de todas as coisas, E de todos os seres, dirás, mas não de mim nem da minha liberdade, Liberdade para matar, Como tu foste livre para deixar que eu matasse a abel quando estava na tua mão evitá-lo, bastaria que por um momento abandonasses a soberba da infalibilidade que partilhas com todos os outros deuses, bastaria que por um momento fosses realmente misericordioso, que aceitasses a minha oferenda com humildade, só porque não deverias atrever-te a recusá-la, os deuses, e tu como todos os outros, têm deveres para com aqueles a quem dizem ter criado, Esse discurso é sedicioso, É possível que o seja, mas garanto-te que, se eu fosse deus, todos os dias diria Abençoados sejam os que escolheram a sedição porque deles será o reino da terra, Sacrilégio, Será, mas em todo o caso nunca maior que o teu, que permitiste que abel morresse, Tu é que o mataste, Sim, é verdade, eu fui o braço executor, mas a sentença foi dada por ti, O sangue que aí está não o fiz verter eu, caim podia ter escolhido entre o mal e o bem, se escolheu o mal pagará por isso, Tão ladrão é o que vai à vinha como aquele que fica a vigiar o guarda, disse caim, E esse sangue reclama vingança, insistiu deus, Se é assim, vingar-te-ás ao mesmo tempo de uma morte real e de outra que não chegou a haver, Explica-te, Não gostarás do que vais ouvir, Que isso não te importe, fala, É simples, matei abel porque não podia matar-te a ti, pela intenção estás morto, Compreendo o que queres dizer, mas a morte está vedada aos deuses, Sim, embora devessem carregar com todos os crimes cometidos em seu nome ou por sua causa (...)

Trecho de Caim, novo livro de José Saramago. Eu quero.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Halloween: Blogagem Coletiva



Está cada vez mais perto o dia da blogagem e cá estou eu divulgando novamente. Poucas pessoas realmente se inscreveram, e muitas alegaram não saber se teriam criatividade ou disponibilidade de postar no dia. Resolvo aqui o problema de vocês.
Seguinte, quem quiser postar na semana do Halloween, um pouco antes do dia 31, sinta-se livre! E quanto à criatividade, não é necessário inventar realmente algo (também não é proibido). Você pode pesquisar sobre a data, ver como ela é comemorada, defendê-la ou refutá-la do seu ponto de vista, sabe? Tá aí um ponto que eu também quero deixar bem claro: mesmo que você seja contra o Halloween, poderá participar sim. Até porque se formará uma ampla rede de ideias que se combatem ou se aproximam, o que enriquecerá todo o dia 31 aqui no blog!
Também não esqueçam de avisar no blog assim que o texto for postado, seja no dia 31 ou antes, para que eu possa linká-lo. Não é concurso, é só um debate sobre um assunto que causa polêmica.

Abaixo, a lista das pessoas que já confirmaram presença na Blogagem. Seu nome não está aí? Se inscreva nos comentários, é só mandar o endereço do blog com o qual vai participar, anexar uma das imagem do início desse post e já se considere participando!

1. Sakura Katana, do blog Cerejuda
2. Cih, do blog Coloridex
3. Nathalia Affel, do blog Speechless Sober Toast
4. Larissa, do blog Expressions
5. Ciça, do blog Uma Papachibé e sua Égua
6. Luiza, do blog Mad Strawberry
7. Anne, do blog Enchanted

Até agora essas pessoas confirmaram. E você, o que está esperando? Conto com a presença de vocês, meus leitores. :)

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Sentir-se bem

Por muito tempo busquei a felicidade em coisas externas. Achava que ia ser feliz por ter um namorado, por ter um bem material que tanto queria, entre outras coisas. Descobri que tudo isso ajuda, mas é uma alegria bem passageira se, antes de tudo, você não aprender a se amar, valorizando cada ato seu. Acertou? Não é momento de se gabar, e sim de ser realista: o que fará com tais conquistas? Errou? Analise os erros que cometeu e aprenda. A gente sofre com os nossos erros, mas o sofrimento, a dor nos fortalece na caminhada.
Achamos também que iremos desmoronar com a decisão de terceiros. Não, não vamos. O seu namoro terminou justo quando você achava que estava maravilhoso? Não é o fim do mundo. Dói, mas como tudo, passa.
É bom sempre aprender a passar pela dor com esperança. Aprendi a chorar murmurando para mim mesma que "tudo vai passar". Isso me traz força para seguir adiante.
Por causa de todos esses aprendizados, nem tô sofrendo tanto pelo meu relacionamento que terminou a menos de um mês. Sério, não é como eu fingisse estar bem para não dar o braço a torcer, não mais. Eu estou bem MESMO. Estou me cuidando, de bem comigo, com os amigos. Tudo está em harmonia e eu gosto disso. Traz tranquilidade e uma alegria intensa.

PS.: Essa foto não foi tirada recentemente, mas transmite bem meu momento de felicidade.
PS.2: Ultimamente tenho feito posts muito pessoais. Mas vou voltar com as entrevistas e demais seções do blog.
PS.3: Continuem se inscrevendo para a Blogagem Coletiva do Halloween, basta confirmar nos comentários. (quem já confirmou, desconsidere isso.)
PS.4: Sigam meu blog! :)
PS.5: Feliz dia das crianças! Hahaha! Até a próxima!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Será mesmo que você precisa mudar?

Entramos de corpo em alma num relacionamento. A paixão é imensa, a pessoa nos mostra totalmente que nos aceita do jeitinho que somos, sem tirar nem pôr. Daí, os meses se passam e a pessoa que você chama de amor tenta moldar você. Quem nunca passou por isso, hein?

As desculpas são as mais variadas: “Eu quero que você seja melhor pra você mesma, e não pra mim.”, “Tudo vai ficar mais fácil se você mudar.” e frases do gênero. Se formos totalmente seguras de nós mesmas, isso dificilmente irá influenciar e será bem fácil desistir desse relacionamento. Mas como a maioria de nós temos nem que seja uma pontinha de insegurança, balançamos com situações assim. Achamos que realmente temos que mudar, que será melhor assim. É, paixão por vezes cega. Queremos tanto agradar a pessoa que amamos que nem cogitamos a possibilidade de pensar diferente. Não nos perguntamos, em frente ao espelho, se precisamos realmente mudar.

Não falo de se rebelar. Sei que tem coisas que realmente tenho que mudar, não sou a melhor criatura do mundo nem a mais madura, estou em constante aprendizado. Só que tudo na vida tem tempo certo para acontecer, e o fato de agirmos errado não quer dizer que não estamos tentando mudar.

Acredito que quem ama aceita certos costumes da pessoa amada. É por isso que existem as “almas gêmeas”: não são pessoas perfeitas, mas aquela que combina com o nosso jeito de ser, com o que acreditamos. Aquela pessoa que ajudaremos e pela qual seremos ajudadas, por meio da qual todo bem será mútuo. Pessoas assim não nos impõem mudanças: nos aceitam como somos.

“Vou
Aprendo a viver
E num segundo perder
O medo de ser quem eu sou.”

(Passos Escuros - Hevo 84)

PS.: Continuem se inscrevendo para a Blogagem sobre o Halloween e pegue o selo no post abaixo. Em breve, mais informações.


PS.2: Galera, me sigam! Blog novo, poucos seguidores. :D

sábado, 3 de outubro de 2009

Halloween: Blogagem Coletiva




Estou promovendo uma blogagem coletiva sobre o Halloween, tema que gosto muito! Pra quem não sabe o que é uma Blogagem Coletiva, é um dia no qual todos os blogs inscritos postarão sobre esse tema e todos serão linkados aqui. Será no dia 31 de outubro, e espero que quem seja contra ou a favor participem, e se você estiver também em cima do muro e quiser dar sua opinião, por que não participar?Para a participação basta avisar aqui nos comentários que quer participar, colocar o selo da Blogagem no blog (vou tentar aumentar esse e fazer outro pra que vocês tenham duas opções) e estar pronto(a) pra postar sobre o assunto no dia 31. Peço (encarecidamente) que os participantes confirmem aqui nos comentários se vão participar e divulguem também em seus blogs, para que a ideia se espalhe!
Em breve teremos textos que servirão de apoio para os blogueiros que quiserem. Mas lembre-se: todos são livres, porém não esqueçam de respeitar a crença alheia, ok?
Logo mais venho com novidades!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Semáforo


O semáforo pode ser visto de várias maneiras. O verde, amarelo e o vermelho numa sincronia perfeita de cores. O tempo que temos que parar para dar vez ao outro. A oportunidade para explosões causadas pelo estresse. Porque o que você queria mesmo era acelerar, mas foi freado por uma lei que zela pela segurança e pelo bem estar social, e você só queria que essa lei fosse à merda e pronto. Tempo de respirar. De ouvir aquele refrão de uma música que você ama (Ou de uma que você detesta, do carro do lado. E você pensando quando terá um carro com ar condicionado para ficar recluso no seu silêncio. Ou não.).
Quando o sinal vermelho aponta no semáforo, começa a hora de trabalho de muitos. Limpar o para-brisa dos carros em segundos é uma questão de sobrevivência. Na maioria das vezes é um trabalho feito por crianças, jovens e mulheres, para ajudar na renda familiar, renda essa que é quase inexistente. Eles tem muito mais do que reclamar, mas convivem bem com seu trabalho. Muitos correm felizes por entre os carros, mas não há como deixarmos de ver um olhar triste quando alguém é rude, tratando-os como bichos. As pessoas estressadas que mencionei se acham muito desafortunadas, mas, comparadas a quem está fora, elas estão num patamar mais elevado da sociedade. Bem mais elevado, diga-se de passagem.
Há outros fazem malabarismos ou vendem alguns produtos. Pegam "carona" por fora dos ônibus, alguns por meninice, mas a maioria por necessidade. Correm risco a todo momento. E são discriminados a todo instante, confundidos com assaltantes, "trombadinhas". É uma realidade triste, para a qual não podemos cruzar os braços. O interessante no trabalho de todos é que eles têm que aprender a lidar com a rapidez: se não for assim, não dá tempo de mostrar seu trabalho, muito menos de receber o dinheiro. Vejo muitos sorrindo, mascarando a dor.
Nós, no entanto, estamos sempre reclamando de tudo. Não olhamos bem o que temos e quem nos ama, e basta alguma coisa dar errado para esquecermos de tudo o que já ganhamos. Os meninos dos semáforos não têm muitos motivos para sorrir, segundo nós. Mas será que não?
Nosso pessimismo e nossa raiva precisa de um sinal vermelho, para que assim aprendamos a sorrir, agradecer, a sermos educados com as pessoas. Muitas vezes não temos dinheiro para dar, mas há o sinal verde para um belo sorriso. Alegre o dia de alguma daquelas pessoas.
Agora quanto a você: quando achar que precisa de calma, use o sinal amarelo para respirar, o vermelho para refletir, e no verde, vá sem pressa. O sentimento de alteridade deverá estar sempre presente.

Galera linda, o Despindo Estórias tá de casa nova! Agora sou hostee do
My Sweetie, acessem meu blog clicando aqui. Em breve esse sumirá, pois importei todos os textos daqui pra lá já. :)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Promoção Me Segue Ilhabela Trip



A Ilhabela está promovendo mais uma promoção MARA! E eu como queen e fã da marca, não poderia deixar de participar!
Até porque o prêmio é maravilhoso: uma viagem com 3 amigas para o Rio, Floripa ou Salvador, com TUDO pago! Claro que já escolhi as amigas que quero levar (é segredo).
Agora peço a vocês, blogueiros lindos do meu coração! Para me ajudar, é só me seguir nesse twitter: www.twitter.com/tatah_ilhabela. Se vocês não tiverem, não custa criar uma conta para me ajudar, não é?
Agradeço desde já e aviso que não medirei esforços para ganhar.

PS.: Se puder, além de votar, ajude a divulgar!
PS.2: Se vocês já têm o meu antigo twitter(www.twitter.com/tatahsantini), não precisam excluí-lo. Continuarei usando ele, só tive que fazer um novo para a promoção.

domingo, 16 de agosto de 2009

Malucos da fé

Sempre gostei de falar sobre religião e fanatismo (leia um post meu antigo falando sobre o assunto clicando aqui). E acumulo, seja nas viagens de metrô todas as manhãs até o cursinho, ou no ônibus, ou na rua, ou em qualquer lugar, besteiras ditas por protestantes (e bota protesto nisso!).
Dividirei em tópicos o que escuto desses doidos (desculpe se você é dessa religião, não tô generalizando. Tem muita gente que é religioso, mas respeita bastante a religião alheia, aí fica tudo certo):

- É unanimidade: quem está "pregando a palavra" fala mais do demônio e das coisas do mundo do que de Deus. Já dizia Empédocles que assim como todas as outras coisas da natureza, também nossos olhos são compostos de terra, ar, fogo e água. Assim, a terra contida em nossos olhos perceberia o componente terra no objeto visto; o ar, o componente ar; o fogo, o componente fogo; e a água, o componente água. Por essa lógica, se eles veem tanto pecado em tudo, os mais pecadores são eles.

- Evangélicos (mais um termo para eles, pra que tantos?) fazem questão de espalhar para todos que não são deste mundo. Ué, são de qual mundo, então? Mas dizem isso com uma firmeza imensa, e mostram por A + B que quem está num show, numa boate, lendo algo que não seja a Bíblia Sagrada ou ouvindo música que não seja gospel é do mundo. Eu digo com toda firmeza: sou do mundo, sim. Segundo consta, é nesse planeta que vivo desde que nasci, e é nele onde ficarei até morrer. Claro que sei que tenho que dar valor as coisas do espírito. E dou muito valor, sim. Só que, por estar na carne, também temos que saciar necessidades da mesma. Sem contar que, se estamos aqui, precisamos fazer uso do que aqui temos para progredir. E se eles não são do mundo, porque ouço tanto funk e suingueira gospel, com as "irmãs" todas rebolando?

- Eles são humildes o suficiente para dizer que não são nem um grãozinho de areia perto de Jesus. Mas se acham a força descomunal do universo quando tratam de descer o pau nas demais religiões e nas já mencionadas "coisas do mundo". Só eles estão certos e você está erradíssimo. E ele te diz isso com um sorriso nos lábios. Que gentil, né?

- Acho ERRADÍSSIMO quem prega no metrô. Ali há gente de vários tipos: protestantes, católicos, umbandistas, místicos, judeus, ateus. O normal é que todos fossem respeitados, mas ninguém lembra disso na hora de gritar a plenos pulmões direta e indiretamente que a religião protestante é a única correta. Eu queria ver se um seguidor da wicca fosse lá com um caldeirão fazer um ritual de magia as pessoas iam aceitar. Iam nada... Mas se os protestantes podem, porque os demais não?

- Hoje o cobrador do ônibus disse: "Reencarnação é coisa do demônio". Dito isto, começo a pensar que evolução espiritual também deve ser. Que preconceito.

É, tem gente que ama ser alienada. Eu paro por aqui, mas você sempre lerá algo do tipo no meu blog. Afinal, não dá para ficar calada no meio de tanta idiotice.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Diane Birch, meu novo vício


Vejam esse clipe da Diane Birch. Ela é simplesmente o máximo! Voz linda... Desde Duffy e Adele não tinha visto alguém cantar tão bem!

PS.: Daqui pro fim desse mês eu posto algo decente (espero ter tempo).

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Os Improváveis

Porque eles são muito, muito engraçados! Curtam. :P

PS.: Tô muito sem tempo. O cursinho voltou, tô resolvendo outras coisas... mas prometo passar no blog de todos na medida do possível! :)

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Depois que li Crepúsculo...

...mudei a visão preconceituosa que tinha. Achava que era só mais um best-seller idiota que tinha uma história que prendia e depois se dissipava nas nossas vagas lembranças (meio que viajei nessa frase, mas vocês entenderam...). Tanto pensava assim que demorei a me interessar a lê-lo, mas um dia, bem depois de iniciada a modinha (mais uma coisa que me impediu de ler o livro antes), eu resolvi ler.
A cada página adentrava mais o mundo de Edward e Bella e ao ler, era como se estivesse vivendo em Forks, lado a lado com eles.


Mudanças de pensamento

"Na península de Olympic, do noroeste do estado de Washington, há uma cidadezinha chamada Forks, quase constantemente debaixo de uma cobertura de nuvens. Chove mais nessa cidade insignificante do que em qualquer outro lugar dos Estados Unidos. Foi desse lugar e de suas sombras melancólicas e onipresentes que minha mãe fugiu comigo quando eu tinha apenas alguns meses de idade. Nessa cidade eu fui obrigada a passar um mês a cada verão até ter 14 anos. Foi então que finalmente bati o pé. Nos últimos três verões, meu pai, Charlie, passou duas semanas de férias comigo na Califórnia.
Era em Forks que agora eu me exilava - uma atitude que assumi com muito pavor. Eu detestava Forks.
Eu adorava Phoenix. Adorava o sol e o calor intenso. Adorava a cidade vigorosa e esparramada."
(Capítulo 1, páginas 13 e 14)

"- O Phil conseguiu assinar? - chutei
- Sim, como adivinhou? Com os Suns, dá para acreditar?
- Mãe, isso é ótimo - eu disse com o maior entusiasmo que pude, embora tivesse pouca ideia do que isso significava.
- E você vai gostar muito de Jacksonville - disse ela esfuziante enquanto eu olhava com uma expressão vazia. - Fiquei meio preocupada quando Phil começou a falar em Akron, com aquela neve e tudo, porque você sabe que eu odeio o frio, mas agora Jacksonville! Sempre ensolarado e a umidade não é assim tão ruim. Encontramos uma casa lindinha, amarela, com acabamentos de madeira branca e uma varanda, como de um filme antigo, e um carvalho enorme, só fica a alguns minutos da praia e você terá o seu próprio banheiro...
- Espera, mãe! - interrompi. Edward ainda estava de olhos fechados, mas parecia tenso demais para passar por adormecido. - Do que está falando? Não vou para a Flórida. Eu moro em Forks.
- Mas não precisa mais, bobinha -ela riu. - Phil vai conseguir ficar muito mais agora... Nós conversamos e o que vou fazer é alternar metade do tempo com você, metade com ele nos jogos em outras cidades.
- Mãe - Eu hesitei, perguntando-me qual era a maneira mais diplomática de dizer isso. - Eu quero morar em Forks. Já me adaptei na escola e tenho algumas amigas - ela olhou novamente para Edward quando eu a lembrei dos amigos, então tentei outro rumo - , e Charlie precisa de mim. Ele está tão sozinho lá e não sabe cozinhar nada.
- Quer ficar em Forks? - perguntou ela, surpresa. A ideia lhe era inconcebível. E depois seus olhos dispararam para Edward. - Por quê?
- Eu lhe disse... Escola, Charlie... Ai! - Eu dei de ombros. Não foi uma boa ideia.
Suas mãos flutuaram impotentes para mim, tentando encontrar um lugar seguro para afagar. Ela fez isso em minha testa; não estava enfaixada.
- Bella, querida, você odeia Forks - ela me lembrou.
- Não é tão ruim.
Ela franziu a testa e olhou de Edward para mim, desta vez deliberadamente."
(Capítulo 24, páginas 365 e 366)

Se vê claramente nos trechos como mudou a ideia que Bella tinha de Forks. Antes, era apenas uma cidade no meio do nada, chuvosa. Depois, torna-se sua casa, o lugar onde mora o amor da sua vida, Edward Cullen. E como mudanças é um tema que eu prezo muito, começa por aí a explicação porque o livro marcou tanto a minha vida ( e quando falo assim não é exagero).

O amor entre Edward e Bella

Bella logo atraiu o Edward, como ele mesmo disse, pelo seu cheiro. Pela sua personalidade diferente, por sua beleza que nem mesmo ela via por não se gostar tanto, mas que ele sempre viu claramente. Um amor que
a ele pareceu impossível, porque simplesmente ele tinha medo de não se controlar perto dela. Um movimento brusco e ele podia matá-la. Perto dele, ela é como uma porcelana, de tão frágil. E mesmo até ele achando que não daria certo, eles ficaram juntos.
Outro ponto fundamental para que o relacionamento desse certo foi a coragem de Bella Swan. Ela, mesmo sabendo que Edward era um vampiro e podia atacá-lo a qualquer momento, agia com naturalidade perto dele, e muitas vezes até mesmo com impulsividade, quanto ao contato físico. Ele, em contrapartida, procurava não perder o controle com ela, para protegê-la. Um amor que nos ensina muito.


O mito Edward Cullen

Uma das coisas que me irritava era quando via meninas em blogs, comunidades no orkut e afins dizerem que nunca mais achariam um cara tão legal para se relacionar, por causa do Edward Cullen. Continuo achando isso absurdo, pois nunca trocaria meu relacionamento de verdade (que é maravilhoso, por sinal, mesmo com seus defeitos, normal de todo casal) por um mito. Pois, para mim, já se tornou um mito para as adolescentes e jovens o Edward Cullen. Mas agora entendo porque tamanho fascínio.
O Edward, além de lindo, é tudo que uma mulher pode querer: atencioso, carismático, reservado, romântico, sedutor, e do tipo que não dá atenção a outra mulher que não seja a mulher amada. Qual mulher não se deixaria apaixonar por um homem assim, tão perfeito? (Eu, particularmente, fico curiosa para saber como seria o hálito do Edward, que segundo a Bella, é um "hálito doce". Fico imaginando...).
O Edward se tornou o príncipe dos príncipes. E quem sou eu, pobre mortal, para duvidar de um lindo vampiro?

Não vejo a hora de ler os demais livros. Creio que vou demorar um pouco, por causa do vestibular. Mas já me decreto como uma grande fã. Nunca mais tinha visto uma história adolescente tão envolvente.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Uma vida sem liberdade


"Acorda, amor
Eu tive um pesadelo agora
Sonhei que tinha gente lá fora
Batendo no portão
Que aflição!
Era a dura
Numa muito escura viatura
Minha nossa santa criatura!
Chame, chame, chame lá
Chame, chame o ladrão, chame o ladrão..."
(Acorda, amor - Chico Buarque)



Eu acordei e via o caos. Greves, manifestações, um povo revoltado com a falta de liberdade de expressão. De outro lado, um povo alienado com o que os governantes diziam. Reprimendas dos militares eram comuns em todos os lugares.
Sempre fui revolucionária. Por dizer o que pensava, acabei sendo presa e sofrendo das mais variadas torturas. Nos anos que estive na prisão, escrevi 3 livros: um de poesias, um de contos e outro de crônicas. Todos eles continham a minha indignação não só pelo que eu passava, mas pelas atrocidades que eu via acontecer. Porém, algo sempre me fazia ver que tudo teria um final feliz. Pelo menos assim eu achava.
Notícias de parentes e amigos que morriam não paravam de chegar. Eu, mesmo triste, continuava firme. Aquela injustiça tinha que parar! Até que um dia, saí da prisão e encontrei o meu Brasil devastado. A economia estava acabada. Meus parentes e melhores amigos já não estavam aqui, portanto não tinha quem me recebesse. Apesar disso, ergui-me, nunca deixando de lado a ideia de que tudo ia melhorar. Segui em frente.

Anos mais tarde, publiquei meus livros e escrevi outros. Era sempre convidada para palestras sobre a ditadura, sobre liberdade de expressão. Todos me viam como uma pessoa corajosa, que apesar de todo o sofrimento conseguiu se manter de pé, sem titubear. Em entrevistas, muitos me perguntavam como eu consegui. Não há segredo: basta ter paciência e acreditar, ter amor à causa. Eu tive amor a minha e tudo deu certo, mesmo bem mais tarde do que eu imaginava.

Pauta do
Blorkutando
Tema: O tema desta semana é "E se Fosse Verdade?"

Se você acordasse amanhã em outra época, em outro tempo totalmente diferente do seu. O que você seria lá? O que está acontecendo neste lugar? Você era uma pessoa importante? Ou não? Estaria acontecendo um momento histórico? Uma tragédia? Você ajudou para isso terminar? Ou isso aconteceu por sua causa?Se é uma época no futuro, ou no passado, são vocês que decidem. Se é uma história real ou não vocês que decidem. Por exemplo: Vocês podem contar, que acordaram e tinham 35 anos, e como era tudo por lá. Ou podem escrever que acordaram na Idade Média no meio de uma guerra. Ou nos anos 50. Etc.

P.S.: Pauta difícil... mas hoje acordei com vontade! [Tô tão feliz, inspiração do amor!!]

sábado, 18 de julho de 2009

Sexo sem compromisso


Para muitos, é um absurdo, uma atrocidade. Para outros, mais uma maneira de chegar a momentos de prazer, ou até mesmo o único. Numa sociedade em constante processo de transformação, opiniões ainda são bem divididas.
Conversei com duas garotas, a
Natália e a Clarissa, cada uma com uma opinião diversa, confira:


"Sexo sem compromisso... quer algum assunto mais polêmico? Digo - para as mulheres, que, além das próprias inseguranças, sofrem as pressões machistas da sociedade. Como boa hedonista que sou (porque não sou 100% feminista, uma vez que determinados machismos me favorecem), eu sou a favor do sexo casual - desde que com consentimento, desde que sem expectativas, desde que com intimidade e com prazer. Acho, sim, que a maior parte das mulheres é despreparada psicologicamente para isso; às vezes é por crença (tanto social quanto religiosa), às vezes é por medo, às vezes é por vergonha - não interessando o motivo, todos eles trazem atrelados o fato de que a maioria das mulheres não sabem separar o sexo do amor e, assim, o sexo casual acaba trazendo mais transtornos do que prazer. Por isso digo que a mulher precisa ser bem resolvida - consigo mesma, não com os outros - e ter as questões do (não) relacionamento bem claras; isso feito, é relaxar e gozar." (
Clarissa)

"Sou romântica e acredito em sonho sim. Não consigo desprender da idéia de que sexo é sem amor. Ou sem compromisso. Pra mim, sexo sem compromisso não rola. É uma união quase que perfeita de dois corpos que se amam, que querem estar um com outro. É cumplicidade, é um querer bem, é um compromisso. É como uma conta, em que para se dar certo tem que entrar em perfeita sintonia. Posso parecer ‘careta’ , mas acho que não rolaria comigo, esse tal de sexo sem compromisso." (
Natália)

Minha opinião é meio tradicional (aliás, nem tanto, pois não sou a favor de casar virgem), mas acredito que sexo só acontece com amor. Não há nem clima se não tiver o que, para mim, é essencial. São duas coisas que vem juntas, o sentimento e o ato, numa conjugação perfeita. Porém, sou muito aberta a ouvir pessoas com diferentes opiniões. Tanto que quero saber a sua. Você é contra ou a favor? Por que? Soltem o verbo na minha caixa de comentários!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Suicídio

“Escutem - disse o rapaz. - Estamos na era das facilidades, e vou lhes contar um último requinte. Temos negócios em lugares diferentes, por isso inventou-se a ferrovia. As ferrovias infalivelmente nos separam dos amigos, por isso inventou-se o telégrafo, para que possamos comunicar-nos rapidamente através de longas distâncias… Ora, sabemos que a vida é um palco onde representamos o papel de bufões enquanto isso nos divertir. Faltava ao conforto moderno uma facilidade: uma maneira decente e fácil de sairmos do palco; a escada dos fundos para a liberdade; ou, como disse antes, a porta da Morte. Essa, meus companheiros de revolta, é fornecida pelo Clube dos Suicidas. Não pensem que vocês e eu somos únicos, ou mesmo excepcionais por acalentarmos esse desejo tão razoável. Um grande número de homens, que se cansaram do papel que lhes cabe representar dia após dia, durante a vida inteira, só não escapa por causa de certas considerações. Alguns têm famílias, que sofreriam um grande choque, ou mesmo levariam a culpa, se o assunto se tornasse público; outros têm o coração fraco e temem as circunstâncias da morte… Embora eu odeie a vida, não tenho em mim força suficiente para agarrar a morte e acabar com tudo. Para pessoas como eu, e para todos os que desejam fugir do laço sem escândalos póstumos, foi criado o Clube dos Suicidas."
Trecho do Livro Clube dos Suicidas, de Robert Louis Stevenson, extraído do Blog da Cultura.

O que leva uma pessoa a cometer suicídio? Fraqueza? Medo? Tristeza? Descrença não é, porque quem se mata crê que terá algo melhor depois dali. Será mesmo que terá? Afinal, plantamos aquilo que colhemos e se anulamos a nossa própria existência, o bem mais precioso que temos, como vamos mudar o sofrimento? A página deve ser arrancada, porém o livro não deve ser fechado por conta própria. Você deve escrever em uma nova página. Tem quem o feche por você, na hora certa.
Não estou querendo soar religiosa, apenas acho que não cabe a nós tirar a nossa própria vida. Até porque, se olharmos bem, o que é um grande sofrimento hoje pode ser uma grande tolice amanhã. É uma questão de sabedoria se manter vivo. Se estamos, é porque ainda temos muito o que fazer por aqui.
Se você vive deprê, seja porque o seu ex não te quer mais, ou porque não passou no vestibular, ou ainda perdeu o emprego; lembre que tudo é uma fase. Às vezes é até mais grave: você não tem o que comer, não vê mais sentido na vida por alguma forma... Pra tudo há um jeito: seja num amigo, em palavras de fé, esperança, ânimo, há uma maneira de levantar. Não apague a sua luz. Lembre-se da sua importância para você mesmo e para os outros. Tudo vai passar. Então o que é ruim também passa, por tabela. Tenha paciência, e verá que a vida tem sim, muito sentido.

domingo, 12 de julho de 2009

Pavio curto

A minha ideia tem que ser aceita, e ainda mais, prevalecer. Discuto sempre colocando meu argumento como o mais correto, e ai de quem não concordar. É de assustar, né? Mas é assim que vivo. Espero que por pouco tempo, pois tô fazendo um esforço enorme para mudar.
Sempre achei muito gratificante impor minha visão de mundo, muitas vezes sem nem pensar no outro. Dá aquela sensação de poder, sabe? Você tem a impressão que sabe mais, e isso envaidece...
Mas sabe o que mais? Tô cansada de ser assim! Não só fiz muitas pessoas sofrerem como fiz sofrer a mim mesma. Percebi que o legal não é ter sempre razão, e sim perceber quando eu erro e mudar a direção do barco, tentando acertar ao agir de maneiras diferentes. É bom ter bons argumentos. Melhor ainda é ouvir o argumento do outro, mesmo que simples, e respeitá-lo.
Num mundo de tantas coisas a fazer para melhorar a vida de todos, não vou mais perder tempo com picuinhas. Juro.

Imagem: Getty Images

quarta-feira, 8 de julho de 2009

A dança

Tenho uma relação totalmente espiritual com a dança. Danço o que sinto, não tenho pretensão de me mostrar. Me sinto muito bem ao fazê-lo, claro que por problemas de timidez passei muito tempo sem dançar em público. E admito que ainda não sou totalmente desinibida, mas melhorei bastante.
O ritmo que mais me faz bem é o hip hop. Não tem nada para levantar mais meu humor. Principalmente se for alguma música da Ciara
, eu não consigo parar.
Mas essa relação com a dança é tão profunda que eu resolvi quebrar barreiras. Já não tenho mas tanta vergonha como antes. Gosto de dançar, então pra que ter medo de assumir isso?
Me divirto muito mais assumindo quem sou, do que gosto, o que sei fazer. Assim sou mais feliz.
Acredite no seu sonho. Aprimore suas habilidades. Feche os olhos e sinta. Garanto que não há melhor forma de ser feliz.

Imagem: Getty Images

Editando...

Clipe novo da Ciara com a Missy Elliott, da linda "Work". Quer ver? Clique aqui.

Novo post meu no Universo Ilhabela: Você realmente aceita os homossexuais? Não esqueçam de comentar! :)