sábado, 27 de dezembro de 2008

Despindo Estórias Awards 2008

Mais um ano que se esvai (ou eu tô muito poetisa ou é muita frescura mesmo!), e nele aconteceram várias coisas (legais ou não). E eu venho, nesse último post do ano, listar os melhores e piores de 2008 na minha vida, na cultura, na música, na política...

Melhores:

1. O desenvolvimento do meu talento: a escrita!
Tá, é verdade que desde 2002 eu já escrevia e algumas pessoas já elogiavam, mas foi só neste ano de 2008, com a ajuda desse blog, que eu desenvolvi mais minha escrita. Também teve o Recanto das Letras, onde tive contato com pessoas que gostam muito de ler e escrever! O blog é mais despojado, também fiz muitas amizades por ele!!

2. A eleição de Barack Obama
Podem dizer que ele só está sendo aclamado porque é negro e todos os blá-blá-blás! Que ele é a favor da internacionalização da Amazônia, isso ou aquilo. Tá, eu já sei de tudo isso. Mas o que as pessoas queriam, que o Mc Cain vencesse as eleições, sendo ele do mesmo partido de Bush? Eu não, estou feliz pelo Obama ter vencido, e não venha me dizer que estou sendo sensacionalista pois acompanhei as prévias e as eleições!

3. O Sport ter vencido a Copa do Brasil!
Eu não sou Sport, mas foi uma vitória de Pernambuco, então é claro que eu vibrei! Pô, a Copa do Brasil...foi MARA!! Ainda mais por ter vencido para o Corinthians!! Segura essa aí! [Só pa'ra constar, eu torço pro Náutico, com muuuuuuito orgulho!].0

4. O filme "O Ensaio Sobre a Cegueira"
Inspirado na obra homônima de José Saramago, o filme, segundo o meu professor de literatura Jefferson, é fiel ao livro. O filme é realmente emocionante, vale muito a pena! Desculpe não dar muitos detalhes, não sou uma boa crítica! Deu vontade de ler o livro!

5. Capitu
A minissérie da TV Globo, que faz parte do Projeto Mil Casmurros, onde você envia um vídeo lendo um trecho do livro, foi maravilhosa! Impecável... eu como preguiçosa que sou, nunca tinha lido Dom Casmurro por completo. Lia e parava sempre antes do final. Só que a série e tudo que eu li sobre como ela foi feita me trouxe uma nova vontade: ler o livro inteirinho! E eu já comprei o Dom Casmurro em uma das minhas idas à Livraria Cultura, e já estou lendo!

6. Crepúsculo
Eu não li o livro, mas ontem assisti o filme. Gente, é muito bacana. É daquelas histórias que te mostra que se pode fazer tudo por amor, sem ser piegas. É linda e surreal!! Recomendo!

Piores:

1. Olimpíadas de Pequim
Sei que em tudo que é retrospectiva, seja na TV, em blogs, onde for, dirá que foi um grande evento. E realmente foi. Mas em cima de que? De pessoas que trabalharam duro para construir os locais das competições e que nem sequer tiveram o direito de chegar perto de lá e receber pelos seus trabalhos. Um país sem direitos humanos, e também, por causa do crescimento no número de fábricas por causa da busca desenfreada de riquezas, possui um alto índice de poluição, chegando a ser insuportável em várias áreas do país. Eu vivo na realidade, então não me alienei com um belo evento que só tentou escondê-la.

2. A hipocrisia das pessoas
Ano de muuuuuuita gente fingida na minha vida! Gente que por mais que eu fizesse, tentaram fazer com que eu me sentisse um nada. Mas isso não aconteceu, porque eu sei do meu valor e dos irmãos que caminham lado a lado comigo. E por favor, não menosprezem ninguém, porque um dia você sentirá isso, e isso não é bom, garanto!

3. A supervalorização de certos fatos pela mídia
Eu sei que quero ser jornalista e talvez não tenha forças suficientes para lutar contra isso. Mas não vou deixar de dizer minha opinião aqui e agora: p'ra que supervalorizar um fato, seja ele qual for (caso Eloá, Isabella Nardoni, Carnaval, etc) e esquecer dos outros? Porque quando algo de grande proporção acontece, a mídia meio que se esquece das outras coisas. Tipo, só se falava de Isabela Nardoni. Quando ocorreu o caso da Eloá, logo caiu no esquecimento. E é sempre assim, a mídia traz algo que julga importante para ser o centro das atenções. E quando acontece outra coisa, eles logo colocam "por cima" do que tinha acontecido antes. Isso é estressante!

4. Malhação
Gente, eu era fã de Malhação até um dia desses, mas sinceramente parei de perder tempo com a série, porque eles sempre tem um seriado americano para copiar (e mesmo assim, muito mal). Fiquei sabendo de um boato que nessa próxima fase, eles vão copiar adivinha o que? Logo a minha série predileta: Gossip Girl! Demais para mim...¬¬'

5. Bandas ruins
O que são os Jonas Brothers? A pior banda que já ouvi na vida! Mas o que tem de adolescente dizendo que eles são ótimos e lindos! Acho que esse povo nem usa óculos, eles são ridículos!! Sem contar a história do anel de pureza, alguém aí acredita? Mc Fly também é outra horrível!! Tá, podem me xingar nos comentários, mas eu vou continuar tendo orgulho dos meus treze anos, que ouvia Avril, Red Hot Chili Peppers, Madonna, enfim, coisas de qualidade; e tendo pena das meninas de treze anos da atualidade. Mas gosto é gosto, né?

6. Bush e sua impopularidade
Mais uma prova que ele não agradou aos norte-americanos. Foi um dos mais impopulares da história dos E.U.A. Durante muito tempo não tomou grandes medidas para conter a crise econômica. E ainda há o agravante que, tendo afirmado na época dos atentados ao World Trade Center que era o presidente da guerra, assumiu não ter tanta certeza do que dissera. Ainda bem que ele já vai sair da Casa Branca, ihuu!




Espero que vocês tenham gostado da minha lista. E que em 2009 todo mundo realize aquilo que estiver pronto para realizar, e que a felicidade não seja só um sorriso no rosto, mas também proclamado por ações.
Obrigado a todos que em 2008 acompanharam esse blog, e que, se Deus quiser, estejamos juntos novamente no ano que virá!!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

O meu Natal

Jingle Bell Rock- Filme: Meninas Malvadas


Mesa cheia de comidas deliciosas. Coisas feitas às vezes só pelo hábito, porque é Natal e pronto. Isso não é culpa da minha mãe nem de ninguém, ela faz tudo com muito amor e dedicação. É que já se tornou algo tão mecânico essas festas, tão comercial, que a superficialidade toma conta. É assim em quase todas as famílias. Hoje quem lembra que o Natal é o nascimento do Menino Jesus? Natal é mesmo panetone, árvores enfeitadas com pisca-piscas, chocolate e peru. O abraço de felicitações não tem alma, emoção, é só pura e simples tradição. Um dia depois, ninguém mais lembra de confraternizar não! Só de comer o que sobra da ceia e fazer aquele churrasquinho, regado à música nas alturas e muita bebida. Não é assim em pelo menos 75% dos natais por aí afora?

Pessoas mais necessitadas que nós podem ter natais bem mais felizes. Tem gente que não tem onde morar, mas sabe pôr um belo sorriso no rosto. Tem gente que acha que uma cesta básica é um ótimo presente de Natal; afinal, sem ela, sequer teria o que comer no resto do mês. O Natal geralmente é visto por aqueles que fazem do pouco que lhe é necessidade a força p'ra lutar no amanhã com a esperança de vitória. Natal é renascimento, então que nasça um novo ser, seja de qual classe social for, tente realmente renascer, ter um bom avanço na vida!

Então, fica claro que o que faz um Natal ser realmente bom é como está o seu estado de espírito. Se você está bem consigo mesmo e contente que o que há ao seu redor, fica fácil ter um Natal realmente feliz.

A todos um Feliz Natal!

Pauta do Blorkutando

sábado, 20 de dezembro de 2008

Novidades blogueiras e memê

Agora que estou de férias, e consequentemente com muito tempo livre, reativei um blog de moda que criei em fevereiro deste ano. Ele tem apenas dois posts (um de fevereiro e um agora, da volta). Mas escreverei mais nele, e queria divulgá-lo porque quase ninguém sabe da existência do coitado. O nome dele é Tudo Sobre Moda, e não tem nada muito profissional lá não, só palpites sobre o que ando observando no mundo da moda. É que leio muito e adoro falar sobre isso, e com gosta de ler sobre isso também, vá lá no blog, comente, favorite, divulgue! Agradeço desde já!
Tem o outro blog do qual já falei aqui, mas como logo depois fiz outro post e então nem todos viram, divulgo novamente o Discutindo Conceitos. Fala sobre tudo que eu vejo de interessante e quero dividir com vocês.

Memê:

Fui indicada para responder um memê pela Evelyn Mitherhofer. Lá vai:

1 - Linkar a pessoa que te indicou.
2 - Escrever as regras do memê em seu blog.
3 - Contar 6 coisas aleatórias sobre você.
4 - Indique mais 6 pessoas e coloque os links no final do post.
5 - Deixar a pessoa saber que você a indicou, deixando um comentário para ela.
6 - Deixar os indicados saberem quando você publicar seu post.

6 coisas aleatórias sobre mim:

1. Eu escrevo desde os 13 anos de idade.
2. Meu namorado é mais novo que eu! Ele tem 18 e eu já tô perto de fazer 20!
3. Eu amo batata frita!! *-*
4. Fico muito feliz quando posso encontrar minhas amigas! A amizade é antiga, mas por causa dos contratempos a gente quase nunca se vê...então, quando isso acontece é uma festa!
5. Eu sou totalmente viciada em Gossip Girl, já baixei toda a 1ª temporada e agora tô baixando a 2ª! \o/
6. Minha melhor amiga mora loooonge, a 7 horas de distância de mim. Ela mora em Assu, interior do Rio Grande do Norte. A gente se vê muito pouco, então eu sinto muuuuuita saudade!!

Agora, as 6 indicadas

1. Caprichosa Make-Up
2. Queriiido Diário
3. Muito muito coquete
4. Mais que blá-blá-blá
5. Borboleta em Metamorfose
6. Moowalk

Missão cumprida!! Se eu não aparecer aqui mais antes da data, Feliz Natal para todos vocês!!!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Confessionário

Venho humildemente aqui fazer uma confissão (aliás, duas). Eu tenho duas grandes vontades na minha vida, mas nunca tive coragem e atitude suficientes para realizá-las.
Uma delas é fazer teatro. Desde 2006 que sinto uma enorme vontade, pois nesse ano tive algumas provas de que me desinibia bastante ao interpretar alguém... é algo que me deixa feliz, sabe? O mais interessante é que o colégio que eu estudei oferecia teatro para os alunos, mas eu não fazia com vergonha dos testes de seleção, ai que ódio...porque eu acho sinceramente que eu entraria. Agora mudou um pouco, pois eu estou disposta a correr atrás desse sonho mesmo... Quem for daqui de Recife e souber de algum curso de teatro legal, please, dá a dica!
A outra vontade é de fazer dança. Eu aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaamo dançar (tá, exagerei na quantidade de letras a, mas foi p'ra dar força expressiva)!! E me sinto bem fazendo isso, mas tenho meio que um bloqueio de mostrar isso em público. Não que eu dance mal, pelo contrário, danço muito bem. Queria vencer esse "bloqueio", e vou!!!
Vocês devem ter notado que eu venci mais o do teatro, né? Vou correr primeiro atrás desse sonho, então!! Se der certo (que vai dar, tenho certezaaa) conto aqui tudinho p'ra vocês, beijooo!!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Looks para se inspirar

Fim de ano está aí, e com ele as festas. Seja no Natal ou no Ano Novo, você deve adequar sua roupa ao tipo de festa que você irá. E aqui eu dou uma ajudinha com alguns looks das estilosérrimas Blake Lively e Leighton Meester. Quem sabe você não se inspira e gosta de um deles? Boas festas!







Novo blog

Oi galera, eu fiz um novo blog, o Discutindo Conceitos . Não vou abandonar esse blog, antes que me perguntem, até porque o novo tem uma abordagem diferente. De acordo com o meu tempo disponível, postarei nos dois blogs. Espero que vocês que já lêem o Despindo Estórias gostem da minha nova empreitada. Recado dado, fui! ^^

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Férias e (falta de) inspiração para escrever


Oi leitores! Essa semana foi meio difícil p'ra mim. Fiz a 2ª fase da UFPE, e não foi muito boa não. Tava tossindo tanto na hora da prova, fiquei nervosa, entreguei a prova do 2º dia nos últimos minutos, aff que adrenalina! Acho sinceramente que não foi dessa vez.
Mudando de assunto, essas férias não começaram muito produtivas. Não tenho nem saco p'ra escrever algo decente no blog...acho que é resultado de um ano bitolada com estudos e escritos e agora talvez tenha esgotado minhas possibilidades, ao menos temporariamente.
"-Volta, escritora, eu tô com saudades suas!!" (lezeira total...¬¬°)
Já que eu estou "farta" de novidades, vou indo logo, tédio total...
Obrigada a você que ainda lê um post tão improdutivo quanto esse!! O meu hiato.
PS.: Foto de Gossip, só p'ra alegrar um pouco esse post!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Antecipadamente

Mariana: Mãe, eu vou fazer uma tatuagem no pulso com o nome do meu namorado, pois eu o amo e amarei para sempre!!
Mãe: Filha, você tem apenas 13 anos, não pode definir algo como eterno. Não há eternidade, não da maneira que você pensa. Você é muito novinha, viva o seu namoro, seja feliz, mas não tome decisões assim. Uma tatuagem marcará seu corpo por toda a sua vida, e você ainda não tem maturidade para isso.
Mariana cala-se. Mas não muda de pensamento. Fará a tatuagem com o nome "Rodrigo" em seu pulso, o nome do seu amor. Por ele já fez loucuras inimagináveis, e isso não era nada perto do que já fizera.
Lembra como se fosse hoje da vez que eles transaram no banheiro da balada. Só o medo de serem pegos já aumentava a vontade deles. E tamanha foi a empolgação que esqueceram do preservativo. Não aconteceu nada de ruim, mas só o risco que os dois correram...
Também já utilizou drogas por influência do namorado. Houve uma época em que ele sempre estava chapado, e p'ra não ficar tão estressada, Mariana chapava também. Morreu a menina que era a melhor do colégio. Mariana agora só ia p'ra onde seu namorado a levava, e não costumava ser um bom caminho. No entanto ela nunca contestou, até porque gostava daquela vida louca que os dois levavam. Rodrigo tinha 20 anos, mas não chegou a terminar o ginásio. Sua mãe não gostava do namoro, mas o que podia fazer? Porém a mãe incrivelmente não sabia o que a filha fazia, pensava que ela se mantinha virgem ainda, um engano.
E ela seguia a sua vida, com seu namorado. Certo dia chegou em casa e se deparou com a sua mãe na sala, com olhar choroso e o seu diário na mão.
Mãe: Mariana, o que significa isso?
Começou a ler trechos que revelava ali minha verdadeira vida. Ela chorava raivosa enquanto lia. Depois parou, como se esperasse que eu dissesse algo. Eu, em contrapartida, não conseguia balbuciar uma só palavra. Chorei, e fui até o meu quarto. Arrumei algumas coisas na mala e saí. Dei um beijo em minha mãe, que dizia: "você não tem idade p'ra sair de casa, filha!". Não mudei de idéia.
Fui morar com o Rodrigo. No início foi legal, mas depois vimos que, como agora tínhamos de nos sustentar, não tinha mais aquele amor todo, pois em nossos pensamentos só haviam preocupações. Um dia, fui em busca de emprego, e encontrei. Ao chegar em casa, Rodrigo estava enforcado, pendurado em minha frente. Ali percebi que o que minha mãe sempre me disse era certíssimo. Eu ainda era muito nova para encarar aquilo tudo. O meu amor tinha se matado, e isso só provava que ele não amava nem a si mesmo, quanto mais a mim e aos outros.
No outro dia, fui ao velório do Rodrigo. Foi muito triste e sofrido para mim, mas eu decidi algo ali: ia voltar para minha casa. E fui. Ao chegar lá, minha mãe me deu um grande abraço e disse que sempre esperou por aquele momento. Eu jurei a ela que só sairia de casa se casasse, e que ainda assim continuaria ouvindo seus conselhos, pois se eu tivesse ouvido, não teria sido tão infantil.

Pauta do Blorkutando

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Sobre estudar, Gossip Girl e vício!!


Hoje (ontem, aliás, já que é bem mais de meia noite) eu considero um dia produtivo. Eu baixei dois episódios de Gossip Girl, sendo um pela manhã e um à tarde. Tenho banda larga e mesmo assim não é tão rápida, então baixei só os 2 primeiros episódios. Eu termino um já faminta pelo outro, e tô baixando o 3º episódio agora. Demora um pouquinho, mas vale a pena.
Durante a tarde eu estudei. Um pouco de Literatura e um pouco mais de História do Brasil. Domingo tem a segunda fase do vestiba, e eu irei com fé. Amanhã sai o listão da 1ª, tomara que minha nota tenha sido boa!!
Estou realmente viciada em GG, e é um vício bom, porque depois da próxima segunda eu sou uma pessoa de férias, e aí tenho menos compromissos, o que favorece a dedicação a esse vício, que é muuuuuuito bom!
E vou comprar o box da 1ª temporada assim que tiver grana, a não ser que alguém queira me presentear...hehhehe!
Até a próxima, amigos blogueiros!
Entrem e opinem, ok?
:)

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Vídeos imperdíveis

Hoje eu ia escrever como de praxe, mas achei uns vídeos legais e resolvi postá-los. Por favor, assistam e depois emitam suas opiniões. (uau, isso ficou tão formal...¬¬')

Funk do Suassuna



Todo mundo tem (descubra o que assistindo)



O inesquecível Coxinha, pra finalizar!!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Não é feitiçaria, é tecnologia!!

Há alguns poucos anos, as tardes eram bem monótonas, as únicas fontes de informação e diversão era a TV, o rádio, as revistas e os jornais. Aí chegou a internet, os celulares com câmera, as câmeras digitais, os MPvários...
Um CD só era ouvido se comprássemos, ou se gravássemos numa fita, ouvíamos wallkman, discman, depois vieram os CD's pirata, chegaram, como já disse, os MP3, 4, 5, 6, enfim, vários que nos possibilitaram ir aonde quiséssemos com as nossas músicas prediletas.
Os produtos industrializados são mais facilmente (e rapidamente) fabricados, e tudo corre num tempo tão ilógico que ficamos sem saber qual será a próxima invenção, e olhe que deixei de citar muuuitas mudanças trazidas com a tecnologia!
Ela também traz malefícios: gastos de energia, vícios, problemas de saúde, enfim, problemas relacionados com o seu uso, geralmente excessivo.
Mas o que seríamos de nós sem ela? Nós, ué. Só sentimos falta daquilo que provamos, então como podíamos achar ruim a "falta" algo de que nunca tomamos conhecimento? Fica a dica.

Pauta do Blorkutando

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

E as adolescentes, como são?

Quando era adolescente, eu não pensava muito em como era essa fase, eu simplesmente vivia. Quebrava a cara, era rebelde, sempre achava que minha opinião prevaleceria. Como sou menina, só posso falar sobre essa metade da laranja: ser UMA adolescente, ou como muitos dizem, ABORRECENTE!
Era bobinha, tinha amigas, paixões, desilusões. E o principal: uma insegurança tamanha, me achava muuuito desinteressante, e acabava não aproveitando tanto.
Já provei bebida (e vi pela ressaca que beber não é legal), convivi com pessoas que se drogavam (mas aí, ainda bem resisti) e vi que o mundo e as pessoas não eram tão inocentes, ao contrário do que achava quando era apenas uma criança. Tive amigos que eram mundos distintos, me ensinaram muitas coisas e alguns que tentaram negar a minha existência. É, existe "amigo" para tudo, né?
Mas p'ra não fugir tanto do tema, nós garotas somos seres bem peculiares. Precisamos de algumas horas para nos arrumar para "aquela" balada ou para sair com o namorado. Sem contar que geralmente nos arrumamos p'ra outra mulher, p'ra competir visuais e egos, vendo quem fica mais bonita. Sem contar os dias de TPM, de chatice, preguiça, enfim, coisas que nos tiram do sério, e fazem com que nós nos transformemos em pessoas "complicadas" aos olhos dos outros. Será mesmo que somos complicadas, ou eles que não sabem nos entender?
Falando agora de gravidez na adolescência, é algo muito difícil, acredito. Deve ser ruim ser mãe sem estar preparada financeiramente e psicologicamente para isso, sem ter uma boa base familiar. Um filho, que deveria sempre ser visto como uma dádiva divina, por vezes vem ao mundo como um fardo para a pobre adolescente. Então, porque não se cuidou antes? Informação não falta, o que falta é um pouco mais de juízo, pensar um pouco no futuro. SEr uma adolescente com mentalidade infantil não dá!
Pauta do Blorkutando

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

1 ano de blog!


Oficialmente, a data de aniversário do blog é dia 12 de novembro, quando eu realmente entrei nessa onda de blogagem. Só que no dia 12 não tive tempo de postar sobre isso, e depois deixei pra lá. Já tive outro blog em outro servidor, mas ainda não levava ele tão à sério como levo esse, nem tinha tantos leitores assíduos.
Digo que vale a pena tê-lo. Ele é bonito, colorido, cheio de pensamentos meus, sem falsa modéstia. Adoro escrever aqui, é muito gratificante ver que pelo menos umas 5 pessoas por post estão me lendo. Isso é muito bacana, mesmo.
Agradeço a vocês que vem sempre aqui, aos que estão vindo pela primeira vez agora! Vocês me fazem ter ainda mais vontade de escrever!!

sábado, 15 de novembro de 2008

Adoção: um ato de nobreza





Antes dessa blogagem já tinha pensado muito sobre o assunto da adoção, mas nunca tinha pensado em profundidade...

É um ato de amor dos mais significativos, porque aí se faz algo por alguém que não tem seu sangue, mas tem seu amor. Mas como decididamente não sou perita no assunto, dei uma googlada e achei coisas interessantíssimas, que vocês verão na seqüência do post.






Confira o passo-a-passo para adotar uma criança


Cerca de 8 mil crianças e adolescentes estão aptas à adoção, segundo pesquisa do Ipea. Cadastro nacional reunirá dados com perfis de crianças e possíveis pais adotivos.



Documentos, entrevistas e avaliação psicológica fazem parte do passo a passo para quem pretende adotar uma criança ou adolescente no país. Segundo relatório do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), 80 mil crianças e adolescentes vivem em abrigos no Brasil e cerca de 8 mil (10%) delas estão aptas para adoção.
Na terça-feira (29/04/2008), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançou o Cadastro Nacional de Adoção (CNA), o que promete agilizar os processos.
O sistema será implantado nas varas da Infância e da Juventude até o mês de julho e todos os dados estarão inseridos no sistema em seis meses. A vara da infância é o primeiro local que os interessados em adoção devem procurar para iniciar o processo.
Quando estiver implantado, o CNA fornecerá informações sobre o número de crianças e adolescentes sob a tutela do estado, quantidade e localização de casais habilitados a adotar em todas as regiões, perfis completos e dados sobre os abrigos.
Segundo o CNJ, o procedimento para quem pretende adotar uma criança continuará o mesmo, mas os juízes terão acesso ao cadastro nacional para facilitar que casais encontrem crianças com seu perfil.
Quem pode adotarAdultos com mais de 21 anos, independentemente do estado civil, pode ser solteiro, casado, divorciado, ou viver em concubinato. Na hipótese de ser casado ou viver em uma relação de concubinato, a adoção deve ser solicitada por ambos, que participarão juntos de todas as etapas do processo adotivo. Será feita avaliação de estabilidade da união.Qualquer pessoa que seja pelo menos 16 anos mais velha que a criança a quem pretende adotar. A Justiça não prevê adoção por homossexuais. Neste caso, a autorização fica a critério do juiz responsável pelo processo.
Quem não pode adotarMenores de 18 anos. Os avós ou irmãos da criança pretendida. Nesse caso, cabe um pedido de guarda ou tutela, que deverá ser ajuizado na Vara de Família da cidade onde residem. O tutor não pode adotar tutelado.
Quem pode ser adotadoCrianças e adolescentes com até 18 anos a partir da data do pedido de adoção, órfãos de pais falecidos ou desconhecidos. Crianças e adolescentes cujos pais tenham perdido o pátrio poder ou concordarem com a adoção de seu filho.Maiores de 18 anos também podem ser adotados. De acordo com o novo Código Civil, a adoção depende de sentença de juiz.Crianças e adolescentes com 16 anos a menos que o adotante.Só podem ser colocados para adoção as crianças e adolescentes que já tiveram todos os recursos esgotados no sentido de mantê-los no convívio com a família de origem.
Documentação necessária: RG e comprovante de residência;Cópia autenticada da certidão de casamento ou nascimento;Carteira de Identidade e CPF dos requerentes;Cópia do comprovante de renda mensal;Atestado de sanidade física e mental;Atestado de idoneidade moral assinado por duas testemunhas, com firma reconhecida;Atestado de antecedentes criminais.
O caminho da adoçãoSegundo Benedito Rodrigues dos Santos, secretário-executivo do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), o processo de adoção não é padronizado no país. "No primeiro momento, os interessados procuram a Vara da Infância e da Juventude mais perto de casa. Em seguida, eles passam por uma entrevista. O terceiro passo é a apresentação dos documentos necessários."Santos disse ainda que depois de analisada a documentação, os interessados passam por uma nova entrevista. "Desta vez, um assistente social vai até a casa do adotante para conhecer melhor a rotina dele. Depois disso, é iniciado o processo de escolha da criança. Feito isso, se for o caso, é dada a guarda temporária da criança para o adotante. Esse é o período de experiência e de avaliação."De acordo com o secretário-executivo do Conanda, se o adotante for aprovado, é 'iniciado' o processo na Justiça. "É quando o procedimento começa efetivamente. Tudo se encerra com a sentença do juiz aprovando ou não a adoção", disse Santos.

Matéria do reporter Glauco Araújo exibida em 02/05/2008 e retirada do site G1 da Rede Globo.

Depoimento de quem adotou:Ana Luiza e Lucas

nosso anjo
"Somos casados há três anos e estamos com Karla há um,ela veio até nós antes da gente entrar na fila de adoção,a mae biológica nos entregou. A partir daí começou nossa luta fomos ao fórum e tivemos que nos cadastrar, consultaram os outros casais e nenhum quis por ela ser negra,hoje estamos com ela muito felizes mas com o fantasma do medo pois ainda nao temos nenhuma seguranca,mais temos fé que dará tudo certo. Apesar de ainda sermos jovens, eu com 19 e ele com 23, temos certeza do nosso amor por ela e lutaremos até o fim."

Depoimento de quem foi adotado: Nanda

Sou um milagre....estou aqui....

"Tenho 27 anos, sou bacharel em Direito e muito, muito feliz por Deus ter olhado para mim e me dado a minha família.Minha vida começou verdadeiramente aos 3 meses quando fui para casa de meus pais. A pessoa que me gerou, me deixava abandonada e saia, a vizinha entrava e me dava leite quando estava chorando. Quando cheguei em casa, minha mãe disse que era minúscula, não cabia em seu colo, estava suja e com uma roupinha emprestada..Foram meses de sofrimento indo e voltando para o hospital, porque estava tão desnutrida, que poderia não sobreviver. Idas e vindas ao hospital, e minha mãe alí firme e forte do meu lado, noite e dia, enquanto meu pai corria pela cidade "coletando" leite materno das mães que tinham muito e podiam doar (naquela época não se falava em AIDS e isso era possível) - Foi oque me salvou.Com muita perseverança e amor, fui ganhando peso a cada dia até voltar para casa....Quando as perguntas começaram, minha mãe me disse que não tinha me gerado na barriga, que outra pessoa o fizera e me guardara para ela.... Quando tinha meus 15 anos até tiver curiosidade de saber quem era aquela que não me quis e me deu para uma pessoa desconhecida, mas depois isso passou... Entendi que Mãe é a minha, que me deu colo quando precisei, me deu broncas quando me desviei do caminho do bem e sempre esteve ao meu lado.Antigamente, não conseguia, mas hoje, assim como minha mãe me ensinou, agradeço a Deus pela pessoa que me gerou, não a culpo, até a abençoo, pois ela foi mero instrumento para chegar aos meus pais....Hoje sei que não fui a única, fui na verdade a sexta de uma lista.... Oque se confirma que esta era a missão desta pessoa, ser o caminho para chegar aos meus pais....Obrigada pai, obrigada mãe, por terem me escolhido e me amado, graças a vocês hoje estou aqui..."

Blogagem Coletiva sobre adoção. Foi um prazer participar dessa troca de conhecimentos e principalmente, de sentimentos! Agradeço a oportunidade dada pela Georgia e pelo Dacio!

Textos: Adoção Brasil


quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Ética: reflexo da visão de mundo de uma sociedade

No Paleolítico, as pessoas tinham uma cultura muito diferente da de hoje. As relações humanas, culturais e religiosas eram muito mais ditadas pelo seu instinto do que por qualquer regra. A ética era diferente, então.
Como tudo mudou, a ética não ficou para trás, pois precisou acompanhar o modo de pensar de uma sociedade que modificou o seu jeito de ver o mundo. Por isso que muitas coisas que eram tabu são consideradas ultranormais.
As células-tronco, por exemplo, estão trazendo mais avanços para a medicina. Então, porque achar que a ética deve ser algo inquestionável e imutável? Se ela traz benefícios para a nossa vida, temos é que concordar com mais esse avanço, e ter a certeza que a ética deve respeitar a todos, e sobretudo às mudanças.

Pauta do Blorkutando


quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Mais um selo!!

Ganhei esse selo do Vida Blog:


Agradeço pelo selo, e agora repasso para:

You give me something

Aéreos e hilários

Acho digno, digníssimo

Essas blogueiras realmente merecem esse selo! Tchau!!



sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Cecília Meireles: poetisa da música e do espiritual




Photobucket


Cecília Meireles iniciou-se na literatura participando da chamada "corrente espiritualista", sob a influência dos poetas que formariam o grupo da revista Festa, de inspiração neo-simbolista. Posteriormente, afastou-se desses artistas, sem, contudo, perder as características intimistas, introspectivas, numa permanente viagem interior. Em vista disso, sua obra reflete uma atmosfera de sonho, de fantasia e, ao mesmo tempo, de solidão e padecimento.

A língua do nhem
Havia uma velhinha
que andava aborrecida
pois dava a sua vida
para falar com alguém
E estava sempre em casa
a boa velhinha,
resmungando sozinha:
Nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...

(Cecília Meireles)

Um dos aspectos fundamentais da poética de Cecília Meireles é sua consciência da transitoriedade das coisas; por isso mesmo, o tempo é personagem central de sua obra: o tempo passa, é fugaz, fugidio. A vida é fugaz e a morte, uma presença no horizonte. Há evidências disso no seguinte trecho de uma entrevista concedida pela autora:

"Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram muitos contratempos materiais mas, ao mesmo tempo, me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a Morte que docemente aprendi essas relações entre o Efêmero e o Eterno que, para outros, constituem aprendizagem dolorosa e, por vezes, cheia de violência. Em toda a vida, nunca me esforcei por ganhar nem me espantei por perder. A noção ou o sentimento da transitoriedade de tudo é o fundamento mesmo da minha personalidade."


Em Romanceiro da Inconfidência, Cecília retoma uma forma poética de tradição ibérica, denominada romance (composição de caráter popular, escrito em redondilha), para reconstruir o episódio da Incofidência Mineira e extrair, de um fato passado, datado, limitado geográfica e cronologicamente, valores que são eternos e significativos para a formação da consciência de um povo. A própria autora afirma tratar-se de "uma história feita de coisas eternas e irredutíveis: de ouro, amor, liberdade, traições...".
E exatamente para o mais eterno desses valores -a Liberdade- a poeta (como ela dizia que era) dedica uma das mais belas estrofes da nossa literatura. São versos escritos em redondilha maior (de sete sílabas poéticas):

"Atrás de portas fechadas,
à luz de velas acesas,
entre sigilo e espionagem
acontece a Inconfidência.
Liberdade, ainda que tarde
ouve-se em redor da mesa.
E a bandeira já está viva
e sobe na noite imensa.
E os seus tristes inventores
já são réus - pois se atreveram
a falar em Liberdade.

Liberdade, essa palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda. "


Isso é apenas um breve resumo da obra da maravilhosa Cecília Meireles.
Leonor , obrigada por essa Blogagem Coletiva! Foi legal homenagear a Cecília Meireles.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Os vários conceitos de tradição

Diz o dicionário:

Tradição, s.f. Transmissão oral de lendas ou narrativas; transmissão de valores espirituais de geração em geração; conhecimento ou prática proveniente da transmissão oral ou de hábitos inveterados; recordação; memória; costume, uso.

Dizem alguns jovens (eu me arrisco até a dizer que é a maioria):

Raquel: Vamos p'ra balada, Marie!
Marie: Não posso! Meus avós estão comemorando bodas de ouro e eu tenho que ir. Sabe como é, tradições de família, uma chatice só!
Raquel: Ai, que saco! A festa não será a mesma sem você, amiga!
Marie: Se você ficar fazendo drama vou ter ainda mais vontade de ir p'ra essa balada. Eu só vou p'ra essa "festinha familiar" porque minha mãe me obrigou. Aliás, ela já está aqui gritando que eu me arrume logo. Manda um beijo p'ra galera, e divirtam-se!
Raquel: Tá, amiga!! Depois eu conto as novidades!

Eu digo:

Será que a tradição é algo tão repugnante como falam alguns jovens ou deve se manter intacta segundo os mais experientes?
Particularmente acho que as tradições são importantíssimas. A vida se moderniza, no entanto não podemos deixar de olhar de onde viemos e no que acreditamos. Nossos hábitos e costumes são partes integrantes da nossa essência, e por mais que mudemos, esses aspectos, apesar de não-imutáveis, perduram em nossa existência.

Pauta do Blorkutando

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Selo!

  1. Estou aqui bem antes do combinado, porque ganhei um selo superfofo do blog Julie in Wonderland:





E agora estou aqui para premiar 15 blogs com o selo. Aí vai a lista:

Hialoplasma
Falando de tudo da tela do lar!
vou te contar...
Borboleta em Metamorfose
Muito muito coquete
The Life I Can Show
Li Du Surf
Saia Justa
Fernanda e filhos
Aprendendo Nihongo
Vida Blog
yas.carly
Jerri Dias
Patrícia Pirota
Pêra, manga e cenoura

Agora, peguem seus selos e façam o mesmo: distribuam-no entre 15 blogs. Um grande beijo!

=D

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Um vídeo da Beyoncé

Hoje eu não tive muita inspiração p'ra escrever, então resolvi deixar esse vídeo da Beyoncé, que achei MARA!

Em breve estarei aqui de volta, escrevendo para o tema do Blorkutando, que essa semana é "Tradições". Falando nisso, lembrei que fui escolhida semana passada! Confiram aqui: http://blorkutando.blogspot.com/2008/10/vencedoras-e-tema-da-16-semana.html

Ah, tenho que confessar que adorei a "Blogagem Coletiva: Importando Folclore". Foi muito bom conhecer pessoas de diferentes idades, estados e até mesmo países e principalmente idéias diferentes. Me fez ver que a internet tem, sim, seu lado produtivo!

Quer ler meu texto da Blogagem? É no post abaixo, confira!

Tchau ;)

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Sim ao Halloween! Sim ao Carnaval Pernambucano!


Acho o Halloween uma festa mágica, e tem tudo a ver comigo, já que sou meio mística e também brincalhona. Seria legal bater nas portas dos meus vizinhos pedindo "doces ou travessuras", parte dessa cultura que, apesar de não ser original, é engraçadinha e marca a festa nos EUA. Sei que vem de fora, mas isso nunca me impediu de gostar do que é brasileiro, do que é pernambucano, principalmente. Eu nunca fui muito de dizer que o que é feito no Brasil é melhor ou pior a outra cultura, porque acredito que não é isso que traz superioridade a um povo. E há superioridade entre os povos? P'ra mim isso não passa de uma grande farsa.
Não tenho medo de julgamentos, porque quando se inicia o Carnaval, lá estou eu, brindando a cultura brasileira, brindando meu estado, minha cidade. Falo do Carnaval por ser, na minha concepção, a maior expressão da alegria do povo pernambucano. Eu fico contando os dias p'ra ele chegar, e aproveito o pouco que posso dele curtir. Tá, o frevo e o maracatu podem ter surgido em outro lugar, o Carnaval tem em todo lugar do país, talvez alguns lugares do mundo, mas nada é igual ao Carnaval pernambucano! A cidade muda, a festa nos quatro dias é mágica e democrática: tem frevo, maracatu, MPB, rock, e ah...os blocos de Olinda! Eu mesmo não penso em passar o Carnaval em outro lugar, porque o daqui p'ra mim sempre foi suficientemente bom.
Voltando ao Halloween, ele foi criado pelos celtas e não pedia que ninguém se fantasiasse de bruxa ou comesse guloseimas. O objetivo era celebrar o começo do inverno e celebrar o espírito dos mortos.
Na região da atual Irlanda, há aproximadamente 2 mil anos (data estimada pelos historiadores), os celtas comemoravam seu ano novo em 1º de novembro, data que também marcava o fim das estações quentes do ano. Eles acreditavam que, na véspera, chamada de “Samhain”, o mundo dos vivos e dos mortos se mesclava. A festa do “Samhain” incluía o sacrifício de animais e uma grande fogueira em homenagem aos mortos. O cristianismo é que teria injetado o ar “diabólico” ao Halloween, já que associava espíritos e fantasmas ao paganismo e ao mal. Mas a festa originalmente não tinha a intenção de ser assustadora, e sim uma celebração, segundo explicou Jack Santino, professor de Cultura Popular dos EUA e autor do livro “Halloween and other festivals of life and death” (Halloween e outros festivais de vida ou morte).
“O Halloween como o conhecemos hoje vem da época em que os missionários cristãos tentaram mudar as práticas religiosas dos celtas”, analisa Santino. Para substituir a festa pagã do “Samhain” por uma comemoração cristã, a Igreja Católica determinou que o 1º de novembro seria o Dia de Todos os Santos (All Saint’s Day), também chamado de All-hallows. A véspera, portanto, era chamada de All-Hallows Eve, que depois virou Halloween.
Gostosuras ou travessuras
A festa se popularizou nos EUA com a chegada de um grande número de imigrantes irlandeses, no século XIX, e a ela foram agregadas diversas novidades. Uma delas é o uso de fantasias. Já que os celtas acreditavam que, na noite de 31 de outubro, os espíritos dos mortos vagavam junto a fadas, bruxas e demônios, estes acabaram sendo os temas mais comuns dos disfarces de Halloween. A tradição de “gostosuras ou travessuras” também pode ser creditada aos celtas, que costumavam oferecer comida aos espíritos do Halloween para aplacá-los e para indicar-lhes o caminho das casas de suas famílias. Mas essa não é a única explicação. “Também acredita-se que a idéia de fazer com que as crianças pedissem doces de porta em porta nasceu nos EUA, nos anos 1930. O objetivo era dar às crianças uma participação no Halloween mas evitar que elas ficassem nas ruas fazendo bagunça”, comenta Santino. As abóboras ocas e recortadas, outro ícone do Halloween, são tipicamente norte-americanas. “Uma lenda celta dizia que um espírito que não conseguia ir nem ao céu nem ao inferno usou uma lanterna para guiar-se. Os irlandeses, ao imigrar aos Estados Unidos, conheceram as abóboras e perceberam que, ocas, elas também funcionavam bem como lanternas e continuaram assim a tradição”, diz Santino.
Diante de toda essa informação sobre o Halloween, sempre me identifiquei com a festa. Não sou bruxa, mas como já disse, tenho algo de místico, acho muito legal a festa do Halloween, e o seu real significado é sim fabuloso. Isso nunca me impediu de curtir o Carnaval, nunca me fez odiar nada da cultura nacional. Afinal, essas culturas convivem pacificamente, pelo menos na minha vida. Um bom Halloween para todos!
Quer ver mais textos da Blogagem? Visite o blog: http://omesmo.blogspot.com/

terça-feira, 28 de outubro de 2008

As lendas midiáticas

A mídia sempre procura algo em que se apoiar. E quando se tratam de assassinatos, ela cai em cima de alguns casos específicos, como o de Suzane von Richtofen, que matou seus pais, o de Tarsila Gusmão e Maria Eduarda Dourado (pra quem não é de Pernambuco, esse é um caso de duas meninas que desapareceram e depois foram encontradas mortas. O caso teve repercussão no estado por mais de um ano.), o do menino João Hélio, a da Isabela Nardoni e agora o recente caso de Eloá.
Quando acontece algo assim, a mídia faz abordagens excessivas sobre o assunto: tem programas que chegam até a tirar sua programação normal para fazer críticas (realistas ou não), debates e documentários especiais sobre o caso. Quem, assim como eu, queria ter informações sobre outros fatos acaba se sentindo bombardeado por informações sobre um só assunto. Parece que acabou o resto do mundo, e só interessa aquilo ali. Claro, se alguém morreu, é bom saber porque e como isso ocorreu, é bom estar bem informado. Mas o que ocorre atualmente vai bem além disso: as pessoas que geralmente não têm tanto interesse em assistir noticiários ou ler jornais acabam indo para as páginas que falem do assassinato em questão. Fazem comunidades no Orkut, blogs, põem fotos de quem foi assassinado em suas páginas na internet. Porém se esquecem que casos como esses priorizados pela mídia acontecem todos os dias em vários locais do mundo.
Não quero aqui fazer um manifesto a favor da frieza, mas apenas dizer que as pessoas deveriam ser mais imparciais com relação aos fatos que ocorrem. Isso não quer dizer que você não pode ficar revoltado e achar errado, e sim ter a consciência de que isso acontece, aconteceu e sempre vai acontecer, pois está fora do nosso controle. Se vivemos num mundo de desunidos e principalmente de egocêntricos, como podemos achar que só a nossa revolta vai conseguir modificar o mundo? Precisamos de mais atitude, e menos "chororô", isso é verdade!!

Pauta do Blorkutando

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Ser invisível ou glamourosa, eis a questão!




Vivemos num mundo em que passar despercebido é uma das coisas mais temidas, principalmente entre nós, mulheres.
Porém, algumas conseguem dar a volta por cima, como Andy Sachs, no filme "O Diabo Veste Prada". Cansada de ser zombada por causa de suas combinações horríveis com roupas predominantemente marrons, se rende à moda, para se sentir mais bonita e à altura das suas colegas de trabalho. Assim, ganha a confiança da sua chefe, não só por conta da beleza, mas que ela ajudou, ah isso é verdade!
Em contrapartida temos a Macabéa, personagem de Clarice Lispector em "A Hora da Estrela". Segundo o narrador Rodrigo S.M., ela "é uma peça que não faz falta à engrenagem do mundo". O visual de Macabéa é o pior possível: usava combinação à noite e saia e blusa de dia. Não era muito higiênica, e em seu trabalho por vezes sujava de cachorro quente as folhas que datilografava diariamente, por não se lavar direito. Ela sabia pouco sobre si e não se cuidava, também não tinha ninguém que a ajudasse nesse sentido.
Aí é que entra o status: 1.posição social 2.conjunto de direitos e deveres de uma pessoa, que a caracterizam em sua relação com outras. Falo então de status no seu 1º significado. O status social.
A Macabéa era pobre, e isso é fato. Mas ela tinha algo especial: não sabia quase nada sobre si mesma, e achava que desejar algo pro futuro era um luxo. Uma pessoa assim não chega a almejar nenhum crescimento para sua existência.
Já a Andy Sachs luta para crescer profissionalmente e se tornar uma mulher mais sexy e bonita, pois isso conta muito para ajudar alguém a ter status. Ou você vai negar que alguém rico e mal-arrumado não é ridicularizado? Então, as macabéas da vida bem que poderiam lutar mais por mudanças (sejam elas intelectuais ou visuais), para conquistar algum status. Ele não é tudo, mas ajuda um bocado a ter uma vida melhor. Andy Sachs, ex-macabéa, que o diga.

Pauta do Blorkutando

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Adoção: um ato de nobreza


Estou participando do Blogagem coletiva, promovido pela Geórgia (http://saia-justa-georgia.blogspot.com/) e pelo Dácio (http://gk.jaegger.blog.uol.com.br/), que discorre sobre o tema adoção de crianças e adolescentes.
A semana do Blogagem é de 10 a 15 de novembro, e durante esse período pessoas que já adotaram, pretendem adotar ou os que apenas querem dar a sua opinião sobre o assunto pode participar também. É só ir no blog http://blog-blogagem.blogspot.com/, se inscrever, pegar o selo e divulgar também no seu blog. Afinal, alguém mais pode querer participar ou mesmo que não queira pode se informar com você sobre o assunto, que é de grande importância.
Beijos, até mais!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

"Adulta" poderosa


Olá, eu sou a Miley Cyrus. Vim contar-lhes como a minha vida está *bombando*!

Eu gosto muito de atenção, sabe? Por isso, comecei a achar que meu seriado, meus shows e CD's não estavam me exibindo tanto quanto eu merecia. Então, resolvi expor minha vida sentimental: revelei que já tinha namorado o Nick Jonas por dois anos! Isso é bastante tempo, considerando que tenho 15. E achei que fosse bom pra minha carreira revelar isso. Afinal, os Jonas Brothers estão no auge, né?

E não foi só isso: posei para várias fotos com uma dose de erotismo digamos...exagerada. Fotos informais postadas no MySpace ou o ensaio sensual da Vanity Fair: Miley para todos os gostos!

Esses fatos tiveram grande repercussão na minha carreira, e era isso o que eu mais queria: sucesso, cada dia mais! Tem algo melhor que a fama? Acredito que não!

Começaram a surgir críticas: "Ah, ela é uma criança sem limites!"; "Essa garota só quer aparecer!".

O que mais me irritou foi descobrir que, entre os críticos, teve um que disse que eu não sabia viver as fases da vida normalmente. Que achei que a infância já era a adolescência, e que agora, na adolescência, já me sentia uma adulta.

Refletindo aqui com meus botões, percebi que atropelei as fases, mesmo. Só me esqueci de crescer o suficiente para encarar a vida.

Pauta do Blorkutando

domingo, 5 de outubro de 2008

Duffy: uma diva

Certo dia estava conversando com uma amiga, a Grasi, e ela me fez ouvir uma música de uma nova cantora no mp3 dela. Era a Duffy, Mercy era o nome da música. Adorei, mas acabei esquecendo-a temporariamente. Até que um dia lembrei e ouvi mais uma vez na net, só que agora todo o CD. Depois meu namorado baixou o CD e eu gravei, e o mesmo acabou me dando o CD original! Após ver também clipes, e principalmente sentir o que dizem as suas músicas, ela entrou pro minha pequenina lista de divas, onde só estavam Audrey Hepburn, Avril Lavigne, Marisa Monte, Amy Winehouse e Corinne Bailey Rae.
A música que mais me agradou foi "Warwick Avenue" , que é a mais triste e a que mais aguçou meus sentimentos. Se você já escutou, deve ter gostado, e se não escutou, não perca mais tempo!

P.S.: Por favor, não venha denegrir minha imagem nos comentários caso não concorde com a minha lista de divas.

P.S.2: Gostaram do layout com a Duffy? Opinem!

P.S.3: Espero que gostem do vídeo!


sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Um brinde à boa música, sem preconceitos!

Mozart ou Beyoncé? Não importa o que você mais goste, sempre vai ter alguém pra dizer que esse ou aquele é melhor, ou porque usa mais o intelecto nas letras, ou porque é mais dançante, enfim, juízos de valor que tendem a ser muito pessoais.
E nessas 'disputas' nem sempre amigáveis, pessoas falam mal daquilo que nem sequer ouviram. Julgam apenas pela embalagem, simples assim. Um dia li uma reportagem em que um homem estava comprando um CD, "Beach Boys para crianças", e dizia que seu filho tinha que saber o que é música boa desde cedo. Não concordei com isso, claro, pois música boa, antes de tudo, é aquela que mais te agrada, e ponto final.
Todos tendemos a ser meio preconceituosos quando o assunto é música, e precisamos aprender a lidar com isso. Se gosto da Avril Lavigne, é porque a música dela me tocou, e só. Pode o papa me dizer que é porcaria que não vou ligar e continuar ouvindo. E vou respeitar você, mesmo que goste de Calypso (só um exemplo de algo que eu não gosto, que fique bem claro).
A música é como tudo na vida: cada tipo agrada a uma tribo diferente, e às vezes tem aqueles, que como eu, gostam de muitas coisas diferentes entre si. O essencial é que todos se respeitem, e se permitam ousar a conhecer aquilo para que dizem "eca!" sem ao menos conhecer. Desprenda-se.

Pauta do Blorkutando

sábado, 30 de agosto de 2008

Amigo, sem neuras

O homem é um bom amigo. Ele é do tipo tranqüilão, que dá bons conselhos e críticas realmente construtivas, diferente daquelas "amigas" que só querem fazer com que você se sinta ridícula. Não estou botando todas as minhas amigas na fogueira, mas é muito bom ser amiga de um garoto! Para se divertir, também é uma boa pedida, pois como geralmente eles são mais despreocupados, nos sentimos mais à vontade. É uma amizade de fidelidade também, e (geralmente) sem competições. O que acontece é que muitas garotas acabam se apaixonando por seus amigos, mas isso não quer dizer que sempre será assim. E vai dizer que não seria bom, namorar com alguém de quem você já é amiga há tempos? Se não rola nada além de amizade, também, qual é o problema? Eu não abro mão dos meu amigos homens, e o meu namorado, antes de ser namorado, já era meu amigo. Com isso eu quero dizer que a amizade é possível: sem rolar nada ou mesmo que role. Porque se você namora com um cara, inimiga dele é que você não é!

Pauta do Blorkutando

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Mudanças

Política





Eleições chegando, e muitos não sabem ainda em quem votar (eu, inclusive). Mas como é uma mudança que irá repercutir em nossas vidas, deve ser uma decisão tomada com o mínimo de juízo. Quando digo isso, estou me referindo ao fato de algumas pessoas votarem em alguém por conhecer, ou por algo que fizeram para comprar seu voto. Vote em quem você acha que vai fazer algo pela sua cidade (no caso de candidato à prefeito) e pela sua comunidade (além do próprio prefeito, o vereador, que muitas vezes ajuda em projetos públicos e sociais). Vote consciente.





MTV


Saindo um pouco do papo-cabeça, a MTV é outra coisa que mudou bastante... Adorava assistir Disk MTV, Videoclash (com a Didi Wagner, é claro) e Produzindo o Clipe, entre outros. Lembro quando teve o "Produzindo o Clipe" de "Me against the music"(Britney e Madonna). Eu e meus amigos assistimos tanto que ficávamos na rua, à noite, imitando o clipe. Era legal demais...Isso traz boas memórias! Mas nem pense que eu vou dizer que a MTV pra mim acabou. Eu continuo adorando a programação da emissora, mas que alguns programas deixaram saudades, ah...isso deixaram!





Eu



Era uma criatura epifânica e inocente, e hoje em dia as coisas parecem ter ganhado novos significados para mim. Sei que isso deve acontecer com todo mundo, mas foi tão importante pra mim que não custa relatar, né?

Gente, desculpe-me pelo tempo que fiquei sem postar. Nada mais que falta de tempo. Confiram: www.defreudafofoca.blogspot.com .Sei que já indiquei-o antes, mas tem um post novo que achei bem legal, e queria que, se possível, vocês lessem. Beijão! ;)



sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Músicas bizarras....aaaaamo!

Sempre me diverti ouvindo músicas bizarras. É diferente, é legal, é expressivo. Muita gente torce o nariz, diz que é bobagem, mas dedico muitos dos meus momentos a ouvir versos como "Bat macumba, ê ê" (Mutantes) e "Eu já peguei o Bezzi- de frente, de lado e de costas"(CSS). Vai dizer que não acha legal?
Só que, ouvindo essas coisas, acabei virando expert em extrair significados de bobagens, olha aí:
  • Tem uma música do Zeca Baleiro que diz: "Já tenho um filho e um cachorro/Me sinto como num comercial de margarina/Sou mais feliz do que os felizes. [...]". É meio besteirol ele se sentir num comercial de margarina? Não! Repare como nos comerciais de margarina as pessoas aparecem felizes, sorridentes. Ele só estava querendo expressar bem a sua felicidade, e ao menos pra mim, ele conseguiu.
  • K-sis diz: "Se merda fosse dinheiro, pobre não teria cu". Essa é tão clara que dispensa explicações...
  • Essa do Bonde do Rolê merece música inteira aqui, porque é maaassa:

Solta o frango(Bonde do Rolê)

A gente somo linda

A gente somo inteligente

A gente somo o trio mais foda

A gente somo delinqüente

Alegria da moçada, da perua a favelada

Nosso som é fantasia pra mamãe, vovó, titia

Rolê, rolê, rolê

Solta o frango e vem com a gente(2x)

Nóis é tipo bem jesus

Todo mundo a gente ama

Inda mais se for gatinha

Rola até levar pra cama

A gente topa tudo

Sapatão a bigodudo

Na hora do piriri

Cai ni min ô travesti

Rolê, rolê, rolê

Solta o frango e vem com a gente(2x)

A gente somos linda

A gente somo inteligente

Antes de dar o edí

Eu jurava que era crente

Alegria da moçada, da perua a favelada

Nosso som é fantasia pra mamãe, vovó, titia

Rolê, rolê, rolê

Solta o frango e vem com a gente(4x)

Essa também dispensa explicações também.

Para você que me visita, visite também meu outro blog: http://www.everythingjustwonderful.blogspot.com/

;)


quarta-feira, 23 de julho de 2008

Jesus, me chicoteia!

Toda vez que eu não tenho algo realmente decente pra dizer, eu fico criticando as coisas...hihihi! Vai saber porque esse é o meu modo de diversão, hehehe!
Então, pra não trair esse meu lado "criativo", aqui estou, ácida novamente (gay...¬¬').

A Favorita é a mais odiada (por mim, pelo menos)

Nossa, eu nunca vi tanta babaquice junta. Uma joga a filha contra a outra, sendo que nas outras novelas, mesmo havendo clichês, não tinha chegado a tanto...É uma mentira absurda atrás da outra, péssimo. E aí o povão fica assistindo, esperando pelo mico da próxima cena (até parece que o público em geral que assiste novelas sabe ser crítico...). Foi mal aê...

Tira a Sophie Charlotte de Malhação, ela é um micão!

A menina é uó como atriz... Ruim é pouco. Só faz chorar, tudo bem que isso é mais culpa da autora, mas ela é tão falsa que dá raiva. É um suplício ver aquela menina... Que ela não esteja na próxima fase, e que descubra qual é a sua verdadeira vocação.

Toma lá dá cá

Para eu não ficar só falando mal, vou fazer uma crítica a favor desse programa, que é muuuuuito inteligente e, por isso, muito legal. Não tem um cidadão ali que não seja engraçado, "daí". Você morre de rir com tanta confusão e graça. Quando me dizem que o programa é podre, eu prefiro não comentar...

Acabou o "assunto", gente. Tchau! =D

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Capitalista pincelada de socialista

Na redação, nas conversas, no dia-a-dia, seu discurso é de que o capitalismo é excludente, não permite a igualdade plena no planeta. Porém, baby, você não abre mão de seus passeios no shopping com as amigas, e depois voltar para casa de taxi com suas amigas, cherrie.
Quando chega à faculdade, faz trabalhos belíssimos e sempre tenta mostrar sua capacidade nos mínimos detalhes, para que todos vejam que, além de linda no seu Versace matinal, você sabe muito bem relacionar conhecimentos. This girl it's perfect!
Mas não admite que falem mal de Fidel Castro, pois "ele foi um dos únicos a ter coragem de pôr em prática os princípios de Marx", como você costuma dizer, que não sabendo que, na verdade, os princípios de Marx sequer saíram do papel, alguma vez.
Não sai da limusine, vai à boates da moda, bomba em todos os lugares, afinal você é linda, sexy, e embora não admita, é uma capitalista pincelada de socialista, só para disfarçar.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

O íntimo da alma

Tão subjetiva ultimamente... tal qual a minha infelicidade de quando resolvo me angustiar ( mas, peraí, o subjetivo nem sempre é triste...se bem que o meu costuma ser assim, melancólico). Se estou triste, o texto é triste. Talvez até ruim, vai saber. Tô repensando coisas, revendo valores, tentando fazer da vida algo mais dinâmico e efetivo, mais vida. Parece que ela tá fugindo por entre os meus dedos, tô deixando passar momentos valiosíssimos... Sei que tô aprendendo, mas nem sempre consigo efetivar esse aprendizado, mas sei também que se consegui-lo sempre, morrerei, pois quando acaba a busca, acaba a vida, sempre estamos buscando, muitas vezes sem saber o quê, quando, onde e por que.
Tenho muito medo, e isso precisa acabar. Preciso viver as músicas que escuto, a poesia que eu escrevo, os conselhos que dou e eu mesma não sigo, mas que são bons. Fazer acontecer, cuidar de mim e dos próximos, dar o melhor de mim pois nem sempre o faço.
"Tudo a minha volta são reclames. Desejos vãos e sós"--> Zeca Baleiro
Essa frase do Baleiro traduz. E o que eu disse?
"Já vi esse filme, sempre o mesmo filme."-->Baleiro também.
Então, por que não mudo? Sei lá, parece difícil, mas na verdade é que tenho preguiça ou medo de mudar, ou os dois juntos. Mas eu tenho fé e acho que isso me ajuda a conseguir.
:)

terça-feira, 1 de julho de 2008

Indicações de blogs

Não estou com inspiração pra escrever hoje, mas como [sem falsa modéstia] toda boa escritora é também uma boa leitora, falo sobre blogs que acho muito legais, e queria que quem lesse o meu post conferisse-os, pois vale a pena.

De Freud à Fofoca: http://www.defreudafofoca.blogspot.com/

Com um nome bem irreverente, esse blog é da minha prima, Mariany Gomes. Não conhecia as coisas que ela escrevia, mas depois que ela criou o blog me apaixonei por cada linha que eu ia lendo, e por isso mesmo ele é o primeiro a ser citado aqui. Como diz o nome, ela fala de coisas bem variadas, ou seja, engloba vários grupos de preferências.

Hialoplasma: http://www.hialoplasma.blogspot.com/

O blog é da Ana Luiza. Pra quem lê Capricho, já sabe bem quem ela é, já que ela há dois anos faz parte da seção Tudo de Blog. O blog tem de tudo um pouco, e tem muitos textos bons mesmo, desses que você se inspira. De um humor incrível, prende tanto o leitor que quem visita geralmente volta.


Destartes: www.destartes.blogspot.com

Esse blog é da Natália e é pra se sentir em casa... Cada texto é tão confessional que te faz pensar em cada coisa da vida, de uma maneira tão sensacional... E às vezes te faz ficar de pernas pro ar, mesmo. É um blog ideal para quem quer ler coisas de uma pessoa comum, sincera e criativa.

Vou te contar... : www.jarbass.blogspot.com

Finalizo com esse aqui, que é do meu amigo baiano Jarbas Ribeiro. Ele escreve muito bem, e nos seus textos predomina o humor... muito legal, difícil ler sem rir muito e pensar também.

Ganhei um selo da Natália pro meu blog, que é muito fofo! Obrigada, miga!(ele tá na coluna aí do lado!).

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Bem leve, leve...

Ai, hoje eu tô bem mais bem-humorada. E mais confessional, porque esse não é um texto planejado. Ele vai saindo da minha mente assim, aos pouquinhos, sem pressão. Vai dizendo o que quer em palavras simples, despretensiosas.
Desejo até um pouco de paz para os meus futuros posts. Até porque, às vezes preciso ser meio grossa, melhor assim do que se for falsa, porque isso sim é abominável. Sou meio metódica, pego um tema e produzo, mas preciso ser diferente algumas vezes, e é por isso que esse texto "de improviso" me é tão importante. Quando a gente senta sem nem saber sobre o que vai falar, parece que quem fala é a alma. A gente dá voz a nossos sentimentos, sejam eles bons ou ruins. E o mundo nos conhece.
Nesse texto, não revisei a gramática, concordância, essas coisas. Saiu como um pensamento, que vai vagando lentamente na minha cabeça, e ao sair tomou vida. Uma vida nem tão agitada. Calma, bem leve...

sábado, 21 de junho de 2008

Cusparadas

Hoje eu estava com desaforos na ponta da língua, mesmo.

Na comunidade da Capricho, falando sobre uma possível capa da Lindsay Lohan:

"adooooooro ela.e quem lê capricho por acaso n tem vontade própria pra saber distinguir o q é bom ou não?não dizem q amam BBB, onde só têm baixaria.e qual é o problema?Só pq ela n fez voto de castidade feito os idiotinhas dos Jonas Brothers, modinha q fez a galera esquecer q NX Zero existe? "

Detalhe: minha revolta foi por causa de uma alternativa q dizia não à capa, porque ela é uma má influência...aff!

O que veio na minha mente agorinha

"Ah, já estou cansada de ver o povo falar mal da Amy Winehouse só porque ela é drogada. Não que eu ache que se drogar seja legal, mas também não quer dizer que quem se droga não é legal. É um vício, como qualquer outro. E ela é uma ótima cantora, disso eu não tenho dúvida. E outra: é melhor ser drogada do que ser uma droga!"

Tô mal humorada mesmo, porque, vai encarar?

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Será que vale a pena?

O amor platônico é aquele que possui uma conotação de admiração, o gostar das qualidades de outrem, e daí idealizá-lo como se paixão fosse (já que nem sempre é mesmo paixão, e sim empolgação).
Esse amor é puramente mítico, já que a pessoa amada geralmente é inatingível, vive só no íntimo de nossos devaneios. Tal idealização mostra um desejo ardente de encontrar alguém tal qual lhe aparece no pensamento: um indivíduo quase sem defeitos. Ao conhecer uma pessoa do mundo real, transpõe-se seus frustrados desejos à mesma. Por isso há amores não-correspondidos, gerando decepções e desencantos para muitos.
Álvares de Azevedo, o poeta ultra-romântico, nunca teve um amor realizado, como é explicitado na sua obra. Talvez por ser um intelectual e, antes de tudo, um sonhador. A temática de sua obra poética deixa claro o quão idealizada foi sua vida amorosa, e na verdade ela nunca existiu, já que a vida não é o conjunto do que queremos, e sim daquilo que temos a possibilidade de vivenciar. Ele queria o que estava fora do seu alcance. Assim como muitos de nós.
Mas será que vale a pena perder um tempo precioso com tais fantasias? Que tal um amor real com beijos, carinho e surpresas (boas, é claro)? Garanto que esse, sim, é especial e deixa a alma leve...

Pauta do Blorkutando- Tema: Amor Platônico

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Amor real

Um bom vinho branco na mesa, música calma ao fundo e o aroma de um prato especial, preparado com muito carinho. No pensamento, só havia uma certeza: o amor.
Assim se configura a vida de João, mas só o sabe quem bem o conhece. Há algo importante que ainda não foi mencionado: ele é gay. "Uma pessoa de caráter e potencialidades várias, mas o único e grande defeito é o fato de ser homossexual", diziam muitos sobre o mesmo.
A pessoa com quem divide uma vida de preocupações e alegrias alternadas é o Mário. Viviam numa harmonia desenfreada, pois se respeitavam e se amavam verdadeiramente. Enfrentavam muito preconceito juntos, e não viam nisso um motivo de pausarem seus sentimentos. Acreditavam acima de tudo na felicidade, e sabiam que não estavam juntos por acaso. A vida e o que acontece nela faz parte de um plano maior, e o sofrimento, ao contrário do que podem vir a pensar alguns, só fortalecia o amor que sentiam.
João preparara o prato preferido do seu companheiro, que, chegando de um cansativo dia de trabalho, mostrou-se bastante surpreso e contente. Comeram, beberam do vinho e contemplaram o som de uma música com notas suaves, que os fazia esquecer ao menos temporariamente as trivialidades de uma vil sociedade da qual eram integrantes e que usava argumentos falsos ao falarem da homossexualidade, que não condiziam com a desumanidade de suas ações.
O vento tocou em suas faces, que se encontravam próximas, num beijo cúmplice. A noite passou, a música acabou. Porém o amor, esse continua intacto.

Pauta do Blorkutando - Tema: Homossexualidade

Editando...
Ei, meu texto foi escolhido!
Olhem aqui: http://blorkutando.wordpress.com/2008/06/04/melhores-textos-semana-8/
Feliz...;)